Opiniao

A Associação Viriatos.14 (II)

Asseguramos que jamais um cidadão, que tenha cumprido o Serviço Militar Obrigatório, ‘morrerá só’ pois, a seu lado, terá sempre a Associação e os seus associados.

A Associação Viriatos.14 (II)

Por Carlos Chaves, Major-general (reformado)

Tal como o prometido, no desenvolvimento do artigo anterior, vamos apresentar os conceitos para os 4 (quatro) eixos do exercício da atividade da Associação. 

O primeiro, apoio social, tem como objetivo criar as condições que assegurem que nenhum cidadão que tenha cumprido o serviço militar obrigatório e se encontre na nossa zona de ação (a Beira) em nenhuma circunstância da sua vida estará sozinho, sem apoio e ajuda e, se tiver este serviço sido cumprido no Regimento de Infantaria 14, a zona de ação será a de todo o planeta.

Assim, asseguramos que jamais um cidadão, que tenha cumprido o Serviço Militar Obrigatório, ‘morrerá só’ pois, a seu lado, terá sempre a Associação e os seus associados.

O segundo eixo visa dotar as Forças Armadas com jovens de elevado potencial mediante um adequado esclarecimento, com base em ‘histórias de sucesso’ de antigos militares, e sua interação entre Família, Escola, Sociedade e Associação que torne fundamentada e esclarecida a sua ‘opção de vida’.

O terceiro eixo será o de, através de uma Parceria Público-Privada, criar as condições necessárias para o desenvolvimento do Turismo Militar, mais uma vez na nossa zona de ação - a Beira - com possível extensão das ações ao território continental e insular.

O quarto eixo tem como objetivo incrementar, apoiar e desenvolver todas as atividades socioculturais com especial incidência nos Jovens, Famílias, Escolas e demais instituições locais.

Mas, a dinâmica da Associação trouxe-nos mais um eixo - o voluntariado - onde pretendemos criar as condições para que os cidadãos, de todas as idades, possam praticar o voluntariado em especial, na saúde, no envelhecimento, nas escolas, na proteção e segurança e de uma forma geral em todas as atividades onde este seja possível e requerido.

Em planeamento, contamos abrir ao público as nossas instalações e apresentar o nosso programa de atividades no próximo dia 1 de outubro. 

Em 26 próximo será celebrado protocolo entre o Exército e a Associação, para utilização de instalações no Palácio dos Silveiras (antigo Quartel-General).

Estes são, pois, os nossos propósitos.

Não desejamos ocupar o lugar de ninguém.

Só queremos fazer mais e, se possível, melhor.

Acompanhem a nossa atividade.

Contamos convosco.

O nosso lema é:

União e partilha.

Ajudem-nos a construí-lo.

Os comentários estão desactivados.