Economia

Mão-de-obra. Vários setores pedem medidas urgentes

A imigração faz parte de uma solução abrangente, de acordo com os responsáveis de várias associações empresariais.

Mão-de-obra. Vários setores pedem medidas urgentes

A agricultura, construção civil, hotelaria e restauração enfrentam a escassez de recursos humanos, defendendo medidas que mitiguem este problema, sendo que a imigração faz parte de uma solução abrangente, de acordo com os responsáveis contactados pela Lusa.

De acordo com a CAP,  Portugal “precisa de ter programas de qualificação mais adequados ao setor”, estimando-se que nesta área de atividade faltem cerca de “cinco milhares” de recursos humanos diferenciados. Já o presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), Manuel Reis Campos, são necessárias medidas que permitam promover “uma maior mobilidade transnacional dos trabalhadores”. E estima que neste setor falte cerca de 80 mil recursos humanos.

Por sua vez, a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) manifesta-se preocupada com a escassez de recursos humanos no turismo, nomeadamente nos setores que representa, e recorda que já apresentou propostas neste âmbito. A associação acredita que a “imigração faz parte de uma solução abrangente de medidas” para mitigar a falta de recursos humanos no turismo, com a secretária-geral, Ana Jacinto, a congratular-se “com os passos dados pelo Governo”, nomeadamente no que respeita à “agilização dos vistos para os imigrantes” provenientes da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Os comentários estão desactivados.