Desporto

Sporting. Partida em falso e baterias apontadas à 'rentrée'

Agosto esteve longe de ser um mês querido para os lados de Alvalade. O Sporting não tinha um arranque de época tão negativo desde 2001/02 - mas, na altura, sagrou-se campeão com László Bölöni. Setembro coloca-se como um mês de (re)começos para os leões.

Sporting. Partida em falso e baterias apontadas à 'rentrée'

Desde que deu o pontapé de saída na Liga portuguesa de futebol 2022/23, e até ter disputado a quarta jornada, o Sporting contou 20 dias. E, se o calendário se adivinhava mais exigente neste arranque face aos principais rivais - FC Porto e Benfica -, o pesadelo tem vindo a confirmar-se, com a grande machadada a ser dada neste último sábado, frente ao Desp. Chaves. No dia 7 de agosto, os leões arrancaram a prova com um empate a três bolas frente ao Sporting de Braga, seguindo-se a vitória caseira diante do Rio Ave (por 3-0), no dia 13 de agosto. A equipa de Rúben Amorim voltou a cair precisamente uma semana depois, desta feita no Dragão, frente a um FC Porto que provou ser mais forte. O 3-0 registado no passado dia 20 de agosto deixava o Sporting com um começo inconsistente - um empate, uma vitória e uma derrota -, mas com a consciência de que já tinha travado duas grandes batalhas nesta guerra que é o campeonato. Deste modo, o jogo frente ao Chaves ganhava contornos decisivos, sobretudo no que respeitava à confirmação (ou não) de um período mais conturbado em Alvalade. Mas a maior surpresa havia mesmo de chegar, com os leões a carimbarem novo desaire. Em sentido inverso, o Chaves de Vítor Campelos assegurou uma vitória histórica na capital, por 2-0, com golos de Steven Vitória e Juninho. Aliás, tratou-se mesmo da primeira vitória da equipa flaviense frente a um dos ‘três grandes’ fora de portas. Num total de 45 encontros disputados, foi a 18.ª visita da turma transmontana a Alvalade, onde registava até então 14 derrotas e três empates, o último na época 1990/91.

Factos  Contra factos não há argumentos e os números mostram por que razões os alarmes não demoraram a soar no balneário leonino após este último desaire. 

Há 75 anos que o Sporting não sofria 8 golos nas primeiras quatro jornadas da Liga (média de 2 golos sofridos por jogo). Mais: Há 5 anos que os leões não sofriam duas derrotas consecutivas no campeonato, quando em 2016/17 perderam diante do Belenenses e Feirense. E a saga continua: Retirando jogos contra o FC Porto, Benfica e Sp. Braga, há 17 anos que os leões não ficavam em branco e terminavam um jogo com uma diferença de dois golos - é preciso recuar até 2005 para encontrar cenário semelhante, quando saiu derrotado, também por 2-0, diante do FC Penafiel. 

Mas, porque apesar de tudo há sempre um mas, nada como notar que o Sporting não tinha um arranque de época tão negativo desde 2001/02, quando foi... campeão com László Bölöni.

Após a derrota, Rúben Amorim não escondeu o desagrado e assumiu o momento complicado que a equipa está a atravessar, embora tenha apontado baterias já ao próximo jogo. 

Com o mês de agosto fechado, o Sporting está afundado na segunda metade da tabela classificativa (com 4 pontos em 4 jogos) e espera que setembro seja de mudanças, com o compromisso frente ao Estoril a marcar este novo início já no próximo dia 4. 

Depois será altura de o leão meter as garras de fora na Liga dos Campeões. Recorde-se que o sorteio da fase de grupos da Champions colocou o Sporting no Grupo D, onde se estreará em desafios oficiais contra Eintracht Frankfurt (Alemanha), Tottenham (Inglaterra) e Marselha (França). 

O primeiro jogo será frente ao conjunto alemão no dia 7 de setembro.

A todo o gás  Ao contrário do Sporting, o Benfica soma e segue neste início de época. Os encarnados continuam com um registo 100% vitorioso, numa altura em que disputaram 3 jornadas da I Liga: as águias marcaram 8 golos e não sofreram nenhum. A equipa de Roger Schmidt defronta esta terça-feira o Paços de Ferreira e, depois, o Vizela, ainda antes de receber o Maccabi Haifa na primeira jornada da fase de grupos da Champions (6 de setembro). Inserido no Grupo H, o Benfica vai jogar ainda com PSG e Juventus. 

No mesmo registo vitorioso do Benfica encontra-se o FC Porto, com três vitórias em três jogos e, igualmente, no topo da tabela da I Liga, com 9 pontos. 

Sérgio Conceição e companhia tentavam ontem colocar-se isolados no primeiro lugar, com a deslocação a Vila do Conde, onde defrontaram o Rio Ave na noite deste domingo, em jogo da quarta jornada. Em caso de novas vitórias, FC Porto e Benfica podem colocar-se a 8 pontos do Sporting.

Na Champions, o FC Porto ficou no Grupo B com o Atlético de Madrid, Bayer Leverkusen e Club Brugge. O primeiro e principal desafio acontece em Madrid, diante da equipa que conta com o internacional português João Félix. O desafio está agendado para a capital espanhola para o próximo dia 6 de setembro. Ainda antes, os portistas jogam fora frente ao Gil Vicente em nova ronda a contar para o campeonato português.

Os comentários estão desactivados.