Cultura

Kalorama. O novo festival de verão arranca com Chemical Brothers e Kraftwerk

O MEO Kalorama vai decorrer entre os dias 1 e 3 de setembro, no Parque da Bela Vista, e conta com artistas como Arctic Monkeys e Nick Cave.

Kalorama. O novo festival de verão arranca com Chemical Brothers e Kraftwerk

Sabemos que o calor do verão se está a ir embora quando a época dos festivais está a acabar e, para finalizar esta temporada, temos o MEO Kalorama, o mais recente certame deste género, que entre os dias 1 e 3 de setembro vai trazer ao Parque da Bela Vista artistas como os Arctic Monkeys, Nick Cave ou Disclosure.

No primeiro dia do festival, que arranca já esta quinta-feira, o Kalorama vai ser uma verdadeira ode à história da música eletrónica, ao contar com artistas que atravessam gerações como os pioneiros Kraftwerk, o influente duo dos anos 1990, The Chemical Brothers ou nomes mais contemporâneos, como Moderat ou James Blake. 

É impossível traçar a história da música eletrónica sem falar dos alemães Kraftwerk, banda formada em 1970, em Dusseldorf, por Ralf Hütter (único membro original que ainda se mantém na banda) e Florian Schneider, que, graças ao uso de instrumentos como os sintetizadores, drum machines ou vocoders, ajudaram a definir o som que hoje conhecemos de estilos musicais como o synth-pop, hip hop, post-punk, techno, house ou o ambiente.

Ainda com o seu formato de espetáculos em 3D, que conjuga imagem com combinações sonoras eletrónicas, e que já foi apresentado em festivais como o Neopop ou o EDP Cool Jazz, o histórico grupo vai trazer a Lisboa icónicas músicas como Autobahn, The Robots ou Tour de France.

Um dos grandes nomes da eletrónica dos anos 1990, responsáveis por ajudarem a popularizar o chamado Big Beat, os The Chemical Brothers, autores de trabalhos como Dig Your Own Hole (1997) ou Surrender (1999) vão voltar a Portugal, depois da última passagem em 2019 pelo NOS Alive, para transformar o Parque da Bela Vista numa autêntica rave, assim como os 2ManyDjs, um dos nomes adotados pelos Soulwax, duo formado pelos irmãos da Bélgica, David e Stephen Dewaele, que ajudaram a criar uma ponte entre a música eletrónica e o rock na década em que surgiram bandas como os Nirvana ou os Pearl Jam. 

Mas não são apenas nomes históricos que vão estar no Kalorama. O aclamado produtor James Blake vai também subir ao Palco Meo, enquanto o Palco Colina vai contar com a presença do “supergrupo” alemão Moderat, projeto de música eletrónica que conta com o músico Apparat e o duo Modeselektor, ou o projeto colombiano de “electro cumbia”, Bomba Estéreo.

O primeiro dia do festival conta ainda com artistas portugueses como Rodrigo Leão, o produtor Xinobi, D’Alva e um projeto com curadoria de Chelas É o Sítio, que terá a tarefa de inaugurar o palco Colina, e de apresentar diversos artistas da comunidade local.

O segundo dia do festival traz um dos seus maiores destaques: o conjunto britânico Arctic Monkeys. 

De regresso depois de terem estado no NOS Alive em 2018, o grupo de Alex Turner surge com uma nova cartada na manga. O lançamento do seu sétimo disco, The Car, que poderá ser ouvido no dia 21 de outubro.

Nos últimos concertos da banda já foi possível ouvir uma das músicas novas deste álbum, I Ain’t Quite Where I Think I Am, e, certamente, esta novidade também será ouvida no Palco Meo do Parque da Bela Vista, onde atuarão ainda a banda inglesa Blossoms, a máquina do rock ‘n’ rol português, Legendary Tigerman, e The Lathums, banda também de origem britânica.

Este segundo dia do festival será marcado por uma fascinante diversidade de música eletrónica liderada pelo produtor britânico Bonobo, famoso pela utilização de instrumentos orgânicos na sua música, um som que procura incorporar ao vivo; a “máquina” de música dançável, a irlandesa Róisín Murphy, que em 2020 lançou o aclamado Róisín Machine, um álbum inspirado na música disco e o mais bem-sucedido da sua carreira com quase três décadas; e a artista londrina Jessie Ware, que também está a “surfar” a crista da onda do revivalismo do disco com o seu mais recente disco, What’s Your Pleasure (2020), que também promete deixar muitos corpos suados no Palco Colina.

Nesse mesmo dia, destaque ainda para a presença no cartaz da cantautora sul-africana, Alice Phoebe Lou, e artistas portugueses como Bruno Pernadas, You Can’t Win Charlie Brown ou Golden Slumbers. 

O derradeiro dia do festival é marcado pelo regresso de Nick Cave e dos seus The Bad Seeds, que já marcaram presença este ano em Portugal no festival NOS Primavera Sound, e o duo de música eletrónica inglês Disclosure, que tem a responsabilidade de encerrar o Palco Meo. 

O maior palco do Kalorama vai ainda contar com a presença de dois fortes nomes da música portuguesa, os icónicos Ornatos Violeta, que continuam a dar concertos após se terem reunido na edição de 2019 do festival NOS Alive, e o cantautor de Coimbra, Tiago Bettercourt.

Já o Palco Colina vai receber a inconfundível Peaches, autora de provocantes canções como Fuck The Pain Away, mas também o produtor Moullinex (que colaboraram juntos na música Maniac, no disco de 2012, Flora) ou o artista australiano Bon Iver.

O Kalorama começa esta quinta-feira e ainda existem bilhetes disponíveis. Os bilhetes diários podem ser adquiridos por 61€ e o passe geral por 145€.

Os comentários estão desactivados.