Internacional

Roger Waters defende rendição de Ucrânia: "Atirar gasolina, ou seja, armas, para o fogo não resulta"

Músico enviou carta à primeira-dama da Ucrânia, defendendo o fim da guerra.

Roger Waters defende rendição de Ucrânia: "Atirar gasolina, ou seja, armas, para o fogo não resulta"

Roger Waters, músico dos Pink Floyd, escreveu na segunda-feira uma carta aberta a Olena Zelenska, primeira-dama da Ucrânia, em que pede pelo fim da guerra com a Ucrânia a aceitar a autonomia dos territórios de Donetsk e Luhansk, reinvindicados pela Rússia, na sequência da invasão. 

“Se ‘apoiar a Ucrânia’ significa enviar mais armas ao governo de Kiev, está completamente enganada”, escreveu. “Atirar gasolina, ou seja, armas, para o fogo não resulta", começou por ter o músico no texto.

Waters afirma que Volodymyr Zelensky, o Presidente da Ucrânia , mostrou, no passado, "ter boas intenções", fazendo referência a declarações feitas em 2019, quando o líder ucraniano prometeu acabar com a guerra civil no leste e dar autonomia às regiões de Donetsk e Luhansk”.

“Podemos assumir que as políticas eleitorais do seu marido não caíram bem junto de determinadas fações políticas em Kiev”, acrescenta o artista, rematando: "Infelizmente, o seu marido concordou em menosprezar, de uma forma totalitária e antidemocrática, a vontade do povo ucraniano"

“As forças nacionalistas extremistas que desde então mandam na Ucrânia ultrapassaram as várias linhas vermelhas traçadas pelos vossos vizinhos, a Rússia. Como consequência, foram esses mesmos nacionalistas extremistas a conduzir o país para esta guerra desastrosa", pode ainda ler-se na mesma carta. 

Os comentários estão desactivados.