Cartas de Wall Street

República Socialista Portuguesa

Eu acredito em democracia, mas quando 70% dos votantes são pagos pelo Orçamento do Estado temos uma democracia ou temos um socialismos a caminho do Comunismo.

República Socialista Portuguesa

por Pedro Ramos

Nova Iorque, agosto 2022

«Ask not what your country can do for you – ask what you can do for your country?»
John Fitzgerald Kennedy

«The best way to find yourself is to lose yourself in the service of others».
Mahatma Gandhi

«Being a politician is a poor profession. Being a public servant is a noble one?».
Herbert Hoover

 

Queridas Filhas,

 

Uma das questões da nossa geração é se o Ocidente se encontra em decadência. Pode o seu modelo democrático de governo, confiança na liberdade, tolerância de opiniões diferentes e paixão por debate sobreviver este século? Muitos países, liderados pela China e Rússia, têm sido vocais na sua oposição ao modelo Unipolar que tem vigorado desde a queda do Muro de Berlim, e acreditam num futuro multipolar. Nesse futuro o Ocidente será apenas um minoritário e decrescente polo da civilização.

Se formos honestos, não faltam sinais de que eles podem ter muita razão. Desde a vulnerabilidade da Europa ao gás russo, falta de patriotismo das elites ocidentais que se vêm como cidadãos globais com poucas responsabilidades com os seus concidadãos, população em decréscimo, falhas dos sistemas nacionais de saúde, colapso da família nuclear, estagnação macroeconómica, olhar negativo sobre a história do Ocidente focando nos episódios negros e esquecendo os milagres económicos e de liberdade intelectual sem precedentes na historia da humanidade e o colapso da religião com a emergência da geração selfie.

Eu continuo otimista. Acredito que o Ocidente pode continuar a liderar a humanidade para níveis maiores de prosperidade e de crescimento humano em harmonia. Mas como disse Einstein: «Loucura é continuar a fazer a mesma coisa e esperar um resultado diferente». Os desafios e crises enumerados acima precisam de resposta. Mas, se o sistema ocidental resultou durante os últimos séculos, o que mudou?

De certa forma tudo mudou, porque o mundo continua a evoluir e isso continuará para sempre. Mas no passado, o Ocidente conseguiu lidar e superar guerras, pandemias, revoluções, e até o comunismo. Mas nos últimos 10 a 20 anos a resposta tem sido apática. Porquê?

Na minha opinião o sentido de comunidade e de serviço público morreu. Quando tinha 10 anos, a Junta de Freguesia de Areosa em Viana do Castelo quis expandir uma das ruas agrícolas para que carros maiores pudessem passar. Falaram com o meu avô e ele ofereceu dar parte do terreno da sua quinta (a casa que mais amei na minha vida) sem qualquer compensação. Lembro-me de quão chocado fiquei. Quando lhe perguntei, disse-me que a freguesia tinha planos para melhorar serviços de sanitização, águas públicas e acessos a outros terrenos e era nosso dever ajudar. Foi a minha introdução a viver em comunidade. O interesse do grupo acima do nosso.

Claro que soldados, polícias e mesmo enfermeiros e médicos durante pandemias sabem o que isso é. Mas atualmente, as pessoas focam-se em mostrar a sua melhor imagem em redes sociais e tudo o que impede isso desvanece-se.

Infelizmente não temos bons exemplos das elites portuguesas, a começar pelos políticos. Temos aqui exemplos dos dois lados do poder. Por exemplo, numa situação difícil para o país, um dos nossos primeiros-ministros saiu para ir liderar a União Europeia deixando Portugal numa má situação. Recentemente, temos visto o Partido Socialista a tomar conta do Estado de forma quase monárquica de tal forma que já temos futuro primeiro-ministro e futuro Presidente da República selecionados. E a sociedade civil mostra pouco patriotismo quando aparentemente um futuro consultor do ministro das Finanças desiste quando a população acha demasiado alta a sua compensação. Aqui nos USA, muitos dos ministros (Secretary) abdicam de compensações de milhões de dólares para servirem o seu país sem remuneração. Mas em Portugal o objetivo parece ser o oposto, obter o máximo pagamento do Orçamento do Estado.

Eu acredito em democracia, mas quando 70% dos votantes (sem contar com familiares) são pagos pelo Orçamento do Estado (Fig. 1) temos democracia ou temos Socialismo a caminho de Comunismo? Nos últimos anos, a resposta a desafios tem sido gastar mais do orçamento do Estado. Mas a Inflação está aqui. As dívidas públicas são demasiado altas. O dinheiro acabou. Decisões difíceis avizinham-se. O Ocidente estará frágil se se esquecer do que o fez grande no passado.

Os comentários estão desactivados.