Sociedade

GNR apreende mais de duas mil embalagens de medicamentos e produtos veterinários proibidos

Foram fiscalizados 30 estabelecimentos de produtos para animais, como “petshops, clínicas veterinárias, drogarias e cooperativas agrícolas” no distrito do Porto.


A Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu mais de duas mil embalagens de medicamentos veterinários e produtos de uso de veterinário proibidos em ações de fiscalizada encetadas no distrito do Porto. Em resultado, foram elaborados 41 autos de contraordenação.

Os militares, em comunicado divulgado esta sexta-feira, informaram que fiscalizaram 30 estabelecimentos como “petshops, clínicas veterinárias, drogarias e cooperativas agrícolas” para detetar “possíveis irregularidades à legislação” na venda de medicamentos veterinários e produtos de uso veterinário.

Após a operação denominada de “Júpiter”, a autoridade instaurou 41 autos de contraordenação por diversos motivos: “12 por falta de autorização por parte da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) para a venda de medicamentos veterinários sujeitos a receita médica; 22 por venda de produtos de uso veterinário não autorizados pela DGAV; dois por venda de medicamentos veterinários fora da validade e dois por falta de licença por parte do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para venda de aves protegidas”.

A ação contou com o apoio da direção da região Norte e dos Serviços Centrais da DGAV, e dos médicos veterinários municipais dos concelhos de Amarante, Felgueiras, Paredes, Matosinhos, Vila do Conde, Santo Tirso e Gondomar.

Ainda na nota, a GNR avisa que os medicamentos veterinários e produtos de uso veterinário são importantes “para a defesa da saúde e do bem-estar dos animais, para a proteção da saúde pública” e igualmente para a “salvaguarda das produções animais”.

Os comentários estão desactivados.