Sociedade

Suicídio mata três pessoas por dia, mais do que acidentes na estrada

Dia mundial assinala-se sábado. Em 2020 houve 941 suicídios e centenas de mortes indeterminadas.

Suicídio mata três pessoas por dia, mais do que acidentes na estrada

O Dia Mundial de Prevenção do Suicídio vai ser assinalado este sábado em Lisboa pela Coordenação Nacional das Políticas de Saúde Mental, com o lançamento de uma campanha nacional de prevenção na Fundação Oriente, em Lisboa.

Os últimos dados sobre causas de morte do Instituto Nacional de Estatística, referentes ao ano de 2020, revelam que o suicídio continua a vitimar mais de três pessoas por dia em Portugal: foram registados naquele ano, o primeiro da pandemia, 941 mortes por suicídio e lesões auto provocadas voluntariamente, a que acrescem 790 casos de mortes por lesões em que se ignora se foram acidentes ou intencionalmente infligidas, referem os registos do INE, consultados pelo i.

Um balanço que diminuiu apenas ligeiramente face a 2019 e que se tem mantido na casa das centenas de mortes todos os anos. Desde o início da década de 2000, que o número de mortes por suicídio é superior ao número de vítimas na estrada, em acidentes de transporte, uma das causas externas de mortalidade em que houve uma maior diminuição nas últimas décadas. Em 2020, os acidentes de transporte vitimaram 627 pessoas em Portugal. 

“Este fenómeno não escolhe classes, género, idade ou região geográfica. A mobilização de todos os setores da sociedade é essencial para prevenir o suicídio, uma área em que o preconceito, a desinformação e o estigma são aspetos tão presentes e nefastos”, assinalou a coordenação, liderada por Miguel Xavier.

“A Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio tem como propósito desenvolver uma resposta nacional e coordenada para reduzir a mortalidade por suicídio em Portugal, potenciando a colaboração entre várias entidades sob a liderança da Coordenação Nacional das Políticas de Saúde Mental do Ministério da Saúde, com três objetivos principais: alcançar toda a população, mudar atitudes em relação ao suicídio e à doença mental, através do aumento da literacia em saúde mental e da luta contra o estigma e promover mudanças na sociedade através do incentivo ao pedido de ajuda da pessoa em risco.” 

Os comentários estão desactivados.