Internacional

Mais de um milhão de tartarugas marinhas caçadas ilegalmente nos últimos 30 anos

Grandes focos de caça ilegal às tartarugas acontecem em Madagáscar, sendo no Vietname onde começa a maior parte do tráfico ilegal, assim como a China e o Japão.


Um estudo levado a cabo pela Universidade Estatal do Arizona, nos Estados Unidos da América (EUA), concluiu que mais de 1,1 milhões de tartarugas marinhas foram mortas de forma ilegal nos últimos 30 anos, apesar de haver leis que as protegem. Os investigadores estimam, assim, que cerca de 44.000 tartarugas espalhadas por 65 países foram mortas e exploradas ilegalmente durante a última década.

"Os números são, realmente, elevados e quase certamente sub-representados por várias ordens de magnitude, já que é muito difícil avaliar qualquer tipo de atividade ilegal", disse Jesse Senko, professor assistente da Universidade Estatal do Arizona e um dos principais autores do estudo, segundo o The Guardian. 

O estudo refere ainda que estes animais são caçados para alimentação, uso em práticas de medicina tradicional e são vendidas como formas de decoração. 

"Os países em desenvolvimento continuarão a fornecer tartarugas ilegais enquanto os países com rendimentos mais elevados continuarem a exigi-las como um símbolo de poder", disse ainda o cientista. 

Para que conseguissem ter dados sobre o número de tartarugas mortas, os investigadores examinaram mais de 200 artigos de revistas, relatórios arquivados, jornais, questionários e documentos de organizações que se dedicam à conservação das espécies. 

Sublinhe-se que os grandes focos de caça ilegal às tartarugas acontecem em Madagáscar, sendo no Vietname onde começa a maior parte do tráfico ilegal, assim como a China e o Japão.

 

Os comentários estão desactivados.