Cultura

Não há provas suficientes para acusar Marilyn Manson de abusos sexuais, dizem autoridades

Os crimes alegadamente cometido pelo músico aconteceram entre 2009 e 2011, quando foi acusado de abusar sexualmente de várias mulheres. 


Não existem provas suficientes para acusar formalmente Marilyn Manson de abusos sexuais, concluiram os detetives encarregues da investigação, no seu relatório enviado a  Ministério Público de Los Angeles, nos Estados Unidos da América (EUA). 

Os crimes alegadamente cometido pelo músico aconteceram entre 2009 e 2011, intervalo de tempo em que foi acusado de abusar sexualmente de várias mulheres. Os representantes legais de Manson ainda não comentaram a conclusão do relatório das autoridades norte-americanas, mas frisam que todas as alegações são falsas.

A polícia chegou a ir a casa do músico, em Hollywood, em novembro do ano passado, tendo sido apreendidos vários dispositivos tecnológicos, como computadores e telemóveis.

Manson chegou ainda a processar a atriz Evan Rachel Wood, a sua ex-noiva, que também o acusou de abuso sexual.

Os comentários estão desactivados.