Internacional

Rússia admite estar disponível para se aproximar da nova Itália de extrema-direita

O partido de extrema-direita Irmãos de Itália, liderado por Giorgia Meloni, foi o que recebeu mais votos nas eleições de domingo. 


A vitória do partido de extrema-direita Irmãos de Itália, liderado por Giorgia Meloni, nas eleições legislativas em Itália poderá abrir portas para o fortalecimento da relação com a Rússia, admitiu o Kremlin, esta segunda-feira.

"Estamos disponíveis para saudar qualquer força política capaz de superar o 'mainstream' cheio de ódio ao nosso país (...) e capaz de ser mais construtivo nas relações com o nosso país", afirmou o porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov, questionado sobre a vitória do partido de Meloni nas eleições que se realizaram no domingo.

Os resultados parciais apontam para 43% dos votos na coligação de direita e extrema-direita - liderada pelo Irmãos de Itália e que reúne ainda a Liga, de Matteo Salvini, e o partido conservador Força Italia, de Silvio Berlusconi.

Já o bloco de centro-esquerda, liderado pelo Partido Democrático, de Enrico Letta, deverá ter 26% dos votos.

O partido Irmãos de Itália foi fundado em 2012 e tem raízes no Movimento Social Italiano (MSI), desenvolvido pelos seguidores do ditador fascista Benito Mussolini.

Os comentários estão desactivados.