Economia

Santos Silva defende "atitude equilibrada" para responder à inflação

Presidente da AR defende que não se devem esconder as dificuldades das pessoas, mas também não se deve contribuir para as agravar. 


O presidente do Parlamento apelou para que não se responda ao atual cenário nacional com “discursos catastrofistas”, defendendo que não se devem esconder as dificuldades das pessoas, mas também não se deve contribuir para as agravar. De acordo com Santos Silva, a atual situação nacional, marcada pela inflação, deve “ser caracterizada como difícil, e as dificuldades não devem ser escondidas às pessoas”, disse num discurso na Associação 25 de Abril. 

De acordo com o responsável, não se resolve “essa dificuldade com discursos de natureza catastrofista”, nem “exagerando essas mesmas dificuldades”. E acrescentou: “Temos de ter uma atitude suficientemente equilibrada para perceber que esta não é a primeira dificuldade porque nós passamos. É uma dificuldade grave, certamente, mas não devemos ser nós, com a nossa atitude, com o nosso discurso, com as nossas descrenças, a agravar ainda mais as dificuldades por que passamos”, sublinhou.

No entender do presidente da Assembleia da República, Portugal tem uma “vantagem comparativa” relativamente a outros países para lidar com a atual situação, designadamente o facto de, “à estabilidade do Governo e à força do Governo e da maioria, corresponder também estabilidade do lado da oposição”, lembrando que, “por escolha soberana do povo português, os dois partidos que alternam no Governo obtiveram mais de dois terços dos votos e têm mais de 8/10 dos deputados representados na Assembleia da República”.

Os comentários estão desactivados.