Opiniao

Babi Yar: Uma Lembrança

Neste local infame, estima-se que cerca de 60.000 prisioneiros de guerra soviéticos foram executados, além de cerca de 30.000 ucranianos do leste de língua russa antes dos alemães serem expulsos deste país torturado.

Babi Yar: Uma Lembrança

por Roberto Cavaleiro

Na véspera de Rosh Hashaná, quando todos os judeus devem se preparar para o julgamento diante do “trono de Deus” e quando se procura contrição pelos pecados, devemos lembrar no dia 29 de Setembro, o 81º aniversário de um dos piores massacres da história ucraniana. Neste dia, 34.000 homens, mulheres e crianças foram conduzidos para a ravina de Babi Yar e assassinados por uma saraivada de balas disparadas por esquadrões de morte einsatzgruppen e divisões SS lideradas por colaboradores nazis ucranianos que também foram guardas no campo concentração Syretz adjacente.

Neste local infame, estima-se que cerca de 60.000 prisioneiros de guerra soviéticos foram executados, além de cerca de 30.000 ucranianos do leste de língua russa antes dos alemães serem expulsos deste país torturado. Estes números incluem um número não especificado de judeus que fugiram para o leste em 1940, bem como ciganos, tártaros e outras minorias, todos eles registam ter sofrido terríveis perseguições na narrativa ucraniana da tragédia.

Uma tragédia que agora se repete com seis meses de guerra inútil e obscena que arruinou a vida pacífica de inúmeros civis e não tem outro propósito aparente além de trazer uma estranha glória a autocratas implacáveis ​​e aos seus acólitos.

Que os mortos descansem pacificamente na nossa memória.

 

Tomar  29 de Setembro de 2022

Os comentários estão desactivados.