Sociedade

9.500 alunos entraram na 2º fase

Quase metade dos alunos que entraram nesta 2.ª fase ficaram colocados na primeira opção, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES).


Mais de nove mil estudantes conseguiram colocação na segunda fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, mas a maioria ficou de fora, revelam os resultados publicados na quinta-feira na página da Direção-Geral do Ensino Superior.

Depois de uma primeira fase em que foram colocados no ensino superior quase 50 mil novos alunos, o Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES) recebeu agora mais de 20.660 candidaturas, tendo ficado colocados 9.478 estudantes, ou seja, 46% do total. Ou seja, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), 41% dos alunos ficaram colocados na primeira opção. 

Dos quase 21 mil candidatos, a maioria já havia concorrido à primeira fase, mas houve 7.266 que não conseguiram colocação, 2.172 que entraram mas não se matricularam e 6.347 que chegaram mesmo a inscrever-se, contudo, voltaram a tentar a sua sorte para entrar na primeira escolha. Houve ainda 4.874 que concorreram ao CNAES pela primeira vez na segunda fase.

Por outro lado, e apesar de a maioria não ter conseguido lugar em nenhuma das suas opções – 54% dos mais de 21 mil candidatos não ficaram colocados –, sobraram ainda 3.983 das 13.461 vagas. Há 881 cursos em cerca de 1.100 que ficaram totalmente preenchidos.
 
Medicina foi curso com maior média (acima de 19 valores)

Além disso, se entrar numa universidade ou politécnico foi mais difícil na segunda fase, houve quatro cursos em que conseguir um lugar foi uma tarefa extremamente complicada. Nesses cursos só entraram alunos com uma média superior a 19 valores e a opção em que a nota do último colocado foi mais alta continua a ser Medicina.

Todos são na Universidade do Porto, e a lista é liderada pelo curso de Medicina, da Faculdade de Medicina, em que o último dos dois colocados nesta segunda fase teve uma média de 19,57 valores (na primeira fase, a média do último colocado foi 18,72). Seguem-se os cursos de Engenharia e Gestão Industrial, onde entraram três novos alunos e a média mais baixa é 19,18 valores, Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, com 19,18 valores, e Arquitetura, em que o segundo colocado tem média de 19 valores.

Segundo contas avançadas pelo Ministério da Educação, no conjunto da 1.ª e 2.ª fases do CNAES deste ano já ingressaram no ensino superior público 51.173 novos estudantes.

Há ainda uma 3.ª fase, que decorre entre 7 e 11 de outubro, também no site da DGES, cabendo a cada instituição decidir, para cada um dos seus cursos, sobre a abertura de novas vagas.

Os comentários estão desactivados.