Internacional

Lula à frente de Bolsonaro mas disputa não acabou: "A luta continua até à vitória final"

Segundo turno está marcado para o final do mês, a 30 de outubro. 

Lula à frente de Bolsonaro mas disputa não acabou: "A luta continua até à vitória final"

Lula da Silva venceu a primeira volta das eleições brasileiras, somando mais de 48% dos votos, contra os 43% de Jair Bolsonaro, mas não foi o suficiente para encerrar a corrida no primeiro turno. 

O atual Presidente brasileiro surpreendeu a população e as sondagens, contabilizando uma intenção de voto superior à esperada, mas foi quando a contagem chegou aos 70% que Lula da Silva passou a liderar.

O segundo turno está marcado para o final do mês, a 30 de outubro. O antigo presidente brasileiro, ao contrário do que aconteceu com Bolsonaro, contabilizou um desempenho abaixo das sondagens, que o colocavam com margem de quase dez pontos percentuais sobre o atual presidente brasileiro.

Foi durante a madrugada desta segunda-feira, já depois da 1h30, que os resultados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral asseguravam uma segunda volta. 

Lula da Silva, numa primeira reação aos resultados, começou por agradecer "a generoridade do povo brasileiro", continuando a passar uma mensagem de esperança de um Brasil melhor. "Sempre achei que nós iríamos ganhar as eleições e nós vamos ganhar as eleições. Isto para nós é apenas uma prorrogação", disse o candidado, deixando claro: "A luta continua até à vitória final".

Também reagindo aos resultados desta madrugada, o atual Presidente admitiu que “uma parte da população manifestou vontade de mudar”, mas que “algumas mudanças vêm para pior”. Bolsonaro não deixou escapar comentários sobre as sondagens: "Vencemos a mentira hoje", declarou aos jornalistas, no Palácio da Alvorada, aceitando o próximo confronto: "Temos um segundo turno pela frente".

Com 99,9% das votações apuradas, Simone Tebet (MDB) registou 4,16% das intenções de voto, seguindo-se Ciro Gomes. com 3,04%. O apoio de ambos, Tebet e Ciro, será agora muito cobiçado por Lula e Bolsonaro.

 

Os comentários estão desactivados.