Economia

CEO. Salários batem recordes

Foram analisados os rendimentos dos CEO das 350 maiores empresas do país, que ganharam em média 27,8 milhões de dólares (cerca de 27,9 milhões de euros) no ano passado.

CEO. Salários batem recordes

 A remuneração dos diretores-executivos (CEO) das grandes empresas norte-americanas cresceu 11% em 2021 e, em média, já é 399 vezes maior do que a de um funcionário comum, segundo um relatório divulgado pelo Economic Policy Institute (EPI).

Foram analisados os rendimentos dos CEO das 350 maiores empresas do país, que ganharam em média 27,8 milhões de dólares (cerca de 27,9 milhões de euros) no ano passado.

Esse número é 399 vezes o que um empregado comum ganha, um novo recorde histórico, apesar de, para distorcer a realidade, o estudo ter excluído os ganhos do CEO da Tesla, Elon Musk, que totalizaram cerca de 23,5 mil milhões dólares (cerca de 23,5 mil milhões de euros) graças à execução de opções sobre ações da companhia.

O relatório descreve como a disparidade salarial entre os altos executivos e os funcionários cresceu nas últimas décadas, com os CEO a ganhar em média 59 vezes mais do que o trabalhador comum em 1989.

De acordo com Josh Bivens, diretor de investigação do EPI e um dos autores do relatório, a renumeração "exorbitante" que os CEO recebem é uma grande contribuição para o aumento da desigualdade e que poderia ser contida sem prejudicar a sociedade como um todo.

"Precisamos de colocar em prática soluções políticas que reduzam os incentivos dos CEO para extrair concessões económicas e limitem a sua capacidade de o fazer", disse Bivens, citado em comunicado.

Os comentários estão desactivados.