Sociedade

Mari Alkatiri, da Fretilin, pede suspensão da entrada de timorenses em Portugal

Em declarações à agência Lusa, o dirigente abordou a situação de crise e abandono em que se encontram milhares de timorenses em Portugal.


Enquanto se noticia a chegada de cada vez mais imigrantes timorenses, a Portugal, o secretário-geral da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) pediu hoje o fim da atribuição de vistos a timorenses para impedir situações de miséria e abandono dos imigrantes em território nacional.

Em entrevista à agência Lusa em Lisboa, Mari Alkatiri, responsável pela plataforma que sustenta o governo timorense, esclareceu que, “em Timor-Leste, se deve travar esta onda de procura de vida fora do país, enquanto não houver um acordo de alto nível entre governos para acomodar isso”.

No decorrer dos últimos dias, a situação de crise e abandono em que se encontram milhares de timorenses em Portugal, trazidos por redes criminosas para trabalhar no setor agrícola, uma situação social que já motivou pedidos de apoios de várias autarquias, tem sido notícia em todos os órgãos de informação.

Para Alkatiri, esta é uma situação “chocante” que tem sido tema nos contactos feitos em Portugal com os governantes portugueses. “Eu acho que primeiro tem que haver um acordo-quadro entre Portugal e Timor-Leste”.

Os comentários estão desactivados.