Internacional

China "preocupada" com guerra na Ucrânia após bombardeamentos russos

Porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China expressou a “vontade” que o país tem de “trabalhar com a comunidade internacional” e desempenhar um “papel construtivo na redução das tensões”.

China "preocupada" com guerra na Ucrânia após bombardeamentos russos

Após os recentes bombardeamentos das tropas russas em várias cidades ucranianas, a China expressou “preocupação” com o “desenvolvimento da situação atual na Ucrânia.

“A China pede às partes envolvidas que resolvam as suas diferenças por meio do diálogo e da consulta”, disse esta terça-feira Mao Ning, a porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China, em conferência de imprensa, salientanto a  “vontade” que o país tem de “trabalhar com a comunidade internacional” e desempenhar um “papel construtivo na redução das tensões”.

Também hoje, o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos confirmou que pelo menos 12 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas os bombardeamentos russos no início desta semana, violando o direito internacional.

Os comentários estão desactivados.