Internacional

Líder ucraniano pede à população para limitar consumo de eletricidade

Com 30% das centrais de energia danificadas depois de ataques russos, autoridades da Ucrânia vão ter de fazer cortes na eletricidade.


Pela primeira vez desde o início da guerra, o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, apelou aos cidadãos para “limitarem o consumo de eletricidade”, numa altura em que 30% das centrais energéticas estão danificadas devido a ataques da Rússia.

“Por favor, limitem o consumo de eletricidade e de aparelhos que consumam muita energia”, pediu o Presidente ucraniano durante o seu discurso noturno à nação, esta quarta-feira, revelando que mais três centrais de energia foram atingidas por ataques naquele dia. 

Uma das instalações atingidas foi uma grande central termoelétrica a carvão na cidade de Burshtyn, no oeste da Ucrânia.
Segundo os especialistas, estas restrições energéticas na Ucrânia são “muito significativas”. 

“Esta é a primeira vez que tais restrições nacionais são implementadas desde a invasão da Rússia em fevereiro”, reportou o jornalista da Al Jazeera, Mohammed Jamjoom. “O fornecimento de energia deve ser restringido diariamente entre as 7h e as 23h, podendo haver apagões temporários se as pessoas não cumprirem essas restrições ou tentarem conservar seu consumo de energia”, acrescentou.

“Muitas autoridades ucranianas ao longo das últimas 48 horas têm repetido que os cidadãos também devem fazer mais para se preparar para o inverno”, informou ainda o jornalista. “Todos os ucranianos com quem conversámos em bairros que foram afetados por quebras de energia após ataques de mísseis ou ataques de drones nos últimos dias disseram que estão preocupados para que a situação piore, mas que estão a tentar prepararem-se o melhor que conseguem”.
O governo vai limitar o uso de iluminação pública nas cidades e a empresa nacional de energia da Ucrânia aconselhou ainda os cidadãos a carregarem todos os seus dispositivos eletrónicos até as 7 horas (5 horas da manhã em Portugal), avisaram esta quinta-feira, recordando que poderão acontecer interrupções no fornecimento de eletricidade de até quatro horas seguidas que devem afetar todo o país.

A operadora do sistema de transmissão de eletricidade na Ucrânia, Ukrenergo, reforçou a importância de carregar telemóveis, powerbanks, lanternas e baterias.

Evacuação de Kherson O líder nomeado pelo Kremlin da região de Kherson, Vladimir Saldo, disse esperar que cerca de 50 mil a 60 mil pessoas sejam evacuadas da região do sul parcialmente ocupada nos próximos seis dias em resposta à intensificação dos combates.

“O lado ucraniano está a reunir forças para uma ofensiva em larga escala”, disse Saldo à televisão estatal russa, esta quarta-feira. “Onde os militares operam, não há lugar para civis”, disse, num plano em que é suposto serem retiradas 10 mil pessoas por dia desta região.

O político acrescentou ainda que as forças de Moscovo tinham recursos para manter a capital regional, que também se chama Kherson, e até mesmo contra-atacar, se necessário.

“Não vamos entregar a cidade”, reforçou numa entrevista televisionada nacionalmente na quarta-feira.

Os comentários estão desactivados.