Internacional

Polícia dispara contra multidão em homenagem a Mahsa Amini

Uma multidão de pessoas reuniu-se em torno do túmulo da jovem, no cemitério de Aichi, em Saghez, a cidade natal de Mahsa Amini, no Curdistão, gritando frases como “mulher, vida, liberdade” e “morte ao ditador”.


As forças de segurança do Irão dispararam esta quarta-feira contra manifestantes que estavam reunidos numa cerimónia de homenagem ao fim dos tradicionais 40 dias de luto de Mahsa Amini, que morreu depois de ter sido presa pela política da moralidade.

"As forças de segurança dispararam gás lacrimogéneo e abriram fogo contra as pessoas na Praça Zindan de Saghez", relatou o grupo de direitos dos curdos Hengaw, sediado na Noruega, no Twitter.

Uma multidão de pessoas reuniu-se em torno do túmulo da jovem, no cemitério de Aichi, em Saghez, a cidade natal de Mahsa Amini, no Curdistão, gritando frases como “mulher, vida, liberdade” e “morte ao ditador”.

A curda iraniana, de 22 anos, morreu no dia 16 de setembro, três dias após a sua detenção pela polícia de moralidade em Teerão, onde estava a visitar o irmão mais novo. A detenção justificou-se por violar o rígido código de vestuário da República.

Os comentários estão desactivados.