Sociedade

Comissão alerta para fim do prazo da recolha de testemunhos de abusos sexuais na Igreja Católica

Relatório final será entregue no dia 31 de janeiro.

Comissão alerta para fim do prazo da recolha de testemunhos de abusos sexuais na Igreja Católica

Por Felícia Cabrita e Gonçalo Morais

A dois dias de encerrar o prazo para receber testemunhos de abusos sexuais praticados na Igreja Católica em Portugal, a Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa lança um apelo: “Se na infância ou adolescência foi vítimas de abuso sexual por membros da igreja católica, testemunhe até dia 31 de outubro de forma a que o seu testemunho faça parte do relatório final”.

O coordenador do grupo, o pedopsiquiatra Pedro Strecht, anunciou, em conferência, no dia 11 de outubro, que a comissão já recebeu um total de 424 testemunhos.

“Há 424 testemunhos recolhidos pelas diversas formas englobadas no trabalho da Comissão. O número mínimo de vítimas será muitíssimo maior do que as quatro centenas e os abusos compreendem todas as formas descritas na lei portuguesa”, afirmou Pedro Strecht, acrescentando que "a maior parte das situações encontra-se juridicamente prescrita”.

A Comissão está a avaliar 30 testemunhos de vítimas que podem vir a ser entregues ao Ministério Público para procedimento criminal. Até agora, a comissão liderada pelo pedopsiquiatra Pedro Strecht tinha enviado 17 denúncias e, dessas, sete estão a ser investigadas.

Pedro Strecht foi mais descritivo e sublinhou que, dos casos ali chegados, concluiu-se que existiram “diversas situações em que o mesmo alegado abusador é referido por diferentes pessoas ao longo dos anos” e em locais diferentes — revelando assim a prática da Igreja em colocar os padres suspeitos em locais diversos para exercer a sua atividade religiosa e em que os crimes persistem.

Pode enviar a sua história para a Comissão através do seguinte e-mail: geral@darvozaosilencio.org. Ou para o número 351 91 711 00 00.

O relatório final será entregue no dia 31 de janeiro.

Os comentários estão desactivados.