Sociedade

Hospital de Faro terá usado resguardos de cães e gatos em utentes

Bastonária da Ordem dos Enfermeiros afirma que não sabe "sequer se estão testados para humanos"


O Hospital de Faro, no Algarve, estará a usar resguardos de cão e de gato nos utentes e doentes internados naquela unidade. 

As denúncias terão partido de utentes, que contactaram a Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco. 

Em declarações à CNN Portugal, a responsável terá dito que se tratam de "resguardos de cão e gato", "resguardos educativos - que funcionam para animais". 

"Não sei sequer se estão testados para humanos e chegaram a serviços do Hospital de Faro para serem usados por doentes", referiu ainda, adiantando que, em causa, estará o serviço de neurocirurgia. 

"Para as pessoas é uma questão de dignidade. Eu não sei se são mais baratos, se foram eventualmente oferecidos, mas é uma questão de dignidade", sublinhou. 

A bastonária irá encaminhas a situação para o ministro da saúde, Manuel Pizarro, para compreender o que aconteceu. 

Já o Hospital de Faro, em declarações ao órgão de comunicação supramencionado, referiu que os materiais que a administração adquire para os tratamentos são unicamente dedicados à administração em meios hospitalares, mas que se deu uma falha de abastecimento, ou seja "uma rutura de stock dos produtos corretos". Foi aberta uma "averiguação interna" para compreender este caso.

 

 

 

 

Os comentários estão desactivados.