Internacional

Assembleia Nacional francesa suspende sessão após comentários racistas a deputado

Primeira ministra francesa, Elisabeth Borne, frisou que “o racismo não tem lugar" na "democracia", indicando que "naturalmente", a Assembleia Nacional "terá de adotar sanções".


Uma sessão que decorria esta quinta-feira na Assembleia Nacional Francesa foi dada como concluída após um deputado de extrema-direita ter dito a frase “que regressem a África” ou “regresse a África”, enquanto um deputado negro fazia uma intervenção sobre a “imigração ilegal”.

Carlos Martens Bilongo, deputado da França Insubmissa, partido de esquerda radical, proferiu no hemiciclo o “drama da imigração ilegal”, quando o deputado Grégoire de Fournas, da União Nacional (RN), partido de extrema direita, disse a frase em questão, considerada racista. O Presidente da Assembleia acabou por terminar a sessão, "dada a gravidade dos factos" e a "emoção legítima" da Assembleia.

O grupo RN argumentou que o deputado referia-se a um barco de migrantes mencionado na pergunta, e "em caso algum" de Martens Bilongo.

"Estamos perante uma manipulação que procura distorcer as minhas observações para me atribuir comentários repugnantes em relação a um colega francês deputado da Nação que tem a mesma legitimidade que eu nestas bancadas", disse Grégoire de Fournas, em declarações aos jornalistas.

Já Carlos Martens Bilongo disse estar "muito triste" com a situação e a primeira ministra francesa, Elisabeth Borne frisou que “o racismo não tem lugar" na "democracia", indicando que "naturalmente", a Assembleia Nacional "terá de adotar sanções".

 

 

O órgão mais alto da Assembleia reunir-se-á na sexta-feira para decidir sobre o seguimento.

Os comentários estão desactivados.