Economia

Banco Montepio com lucro de 23,9 milhões nos primeiros nove meses

Banco  beneficia "do incremento do produto bancário em 11,8 milhões, com destaque para a subida da margem financeira e das comissões, da redução dos custos operacionais em 16,1 milhões e das menores dotações para imparidades e provisões em 45,1 milhões".

Banco Montepio com lucro de 23,9 milhões nos primeiros nove meses

O Banco Montepio registou lucros de 23,9 milhões de euros, nos primeiros nove meses do ano, "o que representa uma evolução favorável face aos -14,2 milhões contabilizados no período homólogo de 2021 ao beneficiar do incremento do produto bancário em 11,8 milhões, com destaque para a subida da margem financeira e das comissões, da redução dos custos operacionais em 16,1 milhões e das menores dotações para imparidades e provisões em 45,1 milhões", revela em comunicado.

Os resultados líquidos consolidados nos primeiros nove meses de 2022 incorporam, no terceiro trimestre, "um impacto estimado em -22,7 milhões (depois de considerados os interesses que não controlam) do acordo assinado para a alienação da participação financeira detida pelo Grupo Banco Montepio no Finibanco Angola S.A", acrescentando que "ainda assim, os resultados líquidos consolidados do trimestre foram positivos, confirmando a tendência favorável verificada nos últimos cinco trimestres".

Nos primeiros nove meses, o produto bancário core aumentou 7,5  milhões face ao valor dos primeiros nove meses de 2021, com a margem financeira a crescer 1% e as comissões 7%. Já o crédito a Clientes (líquido de imparidades) aumentou para os 11,8 mil milhões de euros, 1,5% acima do valor registado em dezembro de 2021. 

Os custos operacionais registados nos primeiros nove meses de 2022 ascenderam a 174,5 milhões, que comparam com 190,7 milhões apurados no período homólogo de 2021 traduzindo uma diminuição de 16,1 milhões "consubstanciada nas descidas verificadas nos custos com pessoal em 14,1 milhões (-11,8%), capturando as sinergias resultantes da implementação do plano de ajustamento do quadro de trabalhadores, nos gastos gerais administrativos em 1,7 milhões (-3,7%) e nas depreciações e amortizações em 0,3 milhões (-1,2%). Excluindo os custos extraordinários e não recorrentes relacionados com o programa de ajustamento do quadro de trabalhadores, os custos operacionais nos primeiros nove meses de 2022 registaram uma diminuição de 5,0% (-5,6 milhões) face ao valor do período homólogo de 2021".

No âmbito da implementação do processo de ajustamento operacional, o total de trabalhadores do Grupo Banco Montepio e de balcões da atividade em Portugal diminuiu, respetivamente, em 138 e em 9 face ao final de setembro de 2021. No final de setembro de 2022, o programa de ajustamento operacional iniciado no último trimestre de 2020 evidencia, no agregado, uma diminuição de 482 trabalhadores (-12%) e de 82 balcões (-25%) geograficamente redundantes.

Os comentários estão desactivados.