Internacional

Colômbia. A festa que deixou um lar de pernas para o ar

Frustrada com as fracas condições de um lar de idosos, uma influencer contratou strippers para atuarem para estas pessoas de forma a chamar a atenção do governo local.

Colômbia. A festa que deixou um lar de pernas para o ar

Poucas histórias fazem furor nas redes sociais como aquelas notícias em que idosos cometem loucuras.

Não existe uma explicação lógica para esta ligação, se calhar é a apaixonante ideia de que, independentemente, da idade uma pessoa esteja sempre disponível para enveradar por aventuras. Talvez seja por isso que histórias como o padre norte-americano que se converteu num ator de filmes pornográficos, ou a história, que circulou nas redes sociais e não se chegou a confirmar a sua veracidade, de um grupo de idosos que fugiu de um lar, na Argentina, e se instalou num quarto com prostitutas e cocaína. Segundo o relato, alguns dos homens terão morrido de ataque cardíaco.

A mais recente notícia deste género chegou da Colômbia e está a fazer o furor nas redes sociais, depois de uma influencer, Nadia Cartagena, ter organizado uma festa num lar de idosos com diversos strippers, inspirado no filme Magic Mike (2012).

Rapidamente chegaram diversas críticas ao evento organizado na Fundação Una Mano Amiga, em Cartagena, na Colômbia, considerando que este tema festivo, que incluiu ainda decoração com bolos eróticos e jogos, era “demasiado”. 

“Nadia, você exagerou, uma festa é boa, mas com outro tema, não é assim”, comentou um dos seguidores da influencer, citado pela revista brasileira, Monet. 

Nas publicações colocadas na rede social da mulher colombiana é possível ver idosas a dançar e a tocar nos corpos semi-nus dos dançarinos.

O exagero foi tanto que, aparentemente, uma das idosas do lar teve de receber atenção médica depois de se ter começado a sentir mal, revelando sinais de estar a sofrer um enfarte.

“Hoje fiz uma festa erótica para idosos e levei o maior susto da minha vida porque não esperava o que aconteceu e a verdade é que sinto muito”, confessou num vídeo publicado no Instagram. “Só queria dar um pouco de diversão a eles e não esperava este desfecho”, desculpou-se, algo que não serviu para atenuar as críticas dos internautas.

“Opa, Nádia, não foi a festa certa, esse é o resultado, que pena, que triste”, condenou um dos seguidores, mencionado pelo meio de comunicação brasileiro.

Contudo, três dias depois deste acontecimento, Nadia Cartagena voltou a publicar um vídeo nas suas redes sociais onde explicava que toda a situação foi forjada, colocando inclusive uma fotografia da idosa onde esta aparecia bem de saúde.

Apesar das críticas que a influencer recebeu, as suas intenções eram boas, revelando que quando publicou o vídeo, que tinha o pouco subtil título de “Idosa sofre enfarte depois de festa surpresa em Cartagena”, pretendia chamar a atenção do presidente desta cidade para a falta de atenção que os idosos estão a receber.

“Muitos me perguntam com que intuito fiz este vídeo. Eu fiz com o intuito de viralizar. É uma tristeza que tenhamos que chegar a esse tipo de espetáculos para que a sociedade olhe para estes lares de idosos”, disse. 

Em entrevista ao jornal local, El Universal, a influencer contou que pretendia que as autoridades locais fizessem alguma coisa em relação às fracas condições do lar de idosos onde ocorreu o controverso evento. 

“Esta festa temática foi organizada. Solicitámos autorização, existem provas. Nada foi feito contra a vontade de ninguém. Fizemos com muito amor, toda a minha plataforma é feita de conteúdo muito bom, de ajuda social”, explicou. “Em nenhum momento o objetivo do vídeo foi incomodar, abusar ou tirar vantagem dos avós, aliás, fizemos uma doação para eles após o evento”, revelou Nadia Cartagena.

Aventuras sem idade A ideia da influencer surgiu uns meses depois de um lar em Taiwan, dedicado a cuidar de pessoas de terceira idade reformadas que passaram pelo exército, ter contratado uma stripper para atuar numa festa com os idosos.

A instituição onde ocorreu esta festa, o Taoyuan Veterans Home, é gerida pelo estado que pagou as despesas da mulher para estar presente durante uma celebração do Festival da Lua, adianta o The New York Post, que descreve os acontecimentos de um vídeo divulgada nas redes sociais desta festa, relatando que os idosos batem palmas e tocam no corpo da mulher.

Depois de duras críticas a esta “forma” de celebrar o Festival da Lua, o Taoyuan Veterans Home desculpou-se e afirmou que pretendia “entreter” os residentes. 

“A intenção do evento era fazê-los felizes. Pedimos desculpa pelas ofensas que causou”, afirmaram.

Uma notícia semelhante chegou aos meios de comunicação em 2013, quando a BBC reportou que uma casa de repouso, em Chaseley, no Reino Unido, onde os residentes eram na sua maioria ex-funcionários públicos deficientes, contratou prostitutas para prestarem um serviço intitulado “tratamento holístico”.

Apesar de um porta-voz do conselho de Eastbourne ter afirmado que estes serviços sexuais colocavam “os residentes sob risco de exploração e abuso”, a terapeuta sexual e fundadora da Outsiders, uma ONG criada para pessoas com deficiências que procuram novas relações e que defende a contratação de prostitutas para prestar serviços a estas pessoas, Tuppy Owens, declarou que o lar recorreu à organização em 2006, para adotar esta prática, acrescentando ainda que a ex-diretora do lar, Elena Barrow, ficou muito satisfeita com a experiência e obteve resultados positivos.

Existem diversas histórias deste género que se tornam virais na internet, como foi o caso do idoso que foi expulso, em 2015, de um asilo no condado de Montgomery, no estado de Pensilvânia, nos Estados Unidos, por esconder uma prostituta debaixo da sua cama.

Além disso, este homem era ainda acusado de contratar prostitutas para outros residentes do asilo através de dinheiro que fazia com a venda ilegal de álcool dentro destas instalações.

Contudo, nem todos escolhem passar a “reforma” da mesma maneira, como o norte-americano Norm Self, de 83 anos, ator em filmes pornográficos, que revelou, este ano, que, antes das suas aventuras nesta indústria, já foi padre.

Além dos filmes eróticos, Self também trabalha como reverendo, cobrando entre 75 a 375 dólares por serviço, conduzindo sessões de “intimidade sagrada”.

Mas nem todas as histórias de loucura de idosos envolvem atividade sexual, basta recordar como a senhora da Irlanda do Norte que, com 79 anos, fugiu para fazer a sua primeira tatuagem (um coração), ou os idosos da Alemanha que fugiram de um lar para marcar presença no festival de heavy metal Wacken e que se recusavam a voltar para o lar.

A polícia afirmou que os idosos estavam “desorientados e atordoados”, mas que “obviamente, gostavam do festival de metal”, revelou um porta-voz da polícia à rádio Norddeutscher Rundfunk.

Os comentários estão desactivados.