Sociedade

Portugal atribuiu mais de 54 mil proteções a refugiados ucranianos

Foram autorizados pedidos de proteção temporária a 13.752 menores, representando cerca de 25% do total.

Portugal atribuiu mais de 54 mil proteções a refugiados ucranianos

Portugal já atribuiu, desde o início da guerra na Ucrânia até esta segunda-feira, mais de 54 mil proteções temporárias a pessoas que fugiram da guerra na Ucrânia, segundo dados atualizados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), esta segunda-feira.

No total, desde o início da guerra a 24 de fevereiro, foram registados 54.356 pedidos de proteção temporária a cidadãos ucranianos e a estrangeiros que residiam na Ucrânia, 31.969 dos quais de mulheres, 22.387 de homens, cerca de 25%, 13.752, dos pedidos diziam respeito a menores.

Segundo o SEF, os municípios com o maior número de proteções temporárias concedidas continuam a ser Lisboa (11.791), Cascais (3.326), Porto (2.714), Sintra (1.849) e Albufeira (1.328).

Ao Ministério Público (MP) foi comunicada a situação de 735 menores ucranianos que chegaram a Portugal sem os pais ou representantes legais, mas cuja situação não demonstra "perigo atual ou iminente".

O SEF comunicou também à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens a situação de 15 menores que chegaram a Portugal não acompanhadas, mas com outra pessoa que não os pais ou representante legal comprovado, representando estes casos "perigo atual ou iminente".

Os comentários estão desactivados.