Desporto

Seleção nacional. "Queremos ser recebidos em festa"

Fernando Santos fez as contas e chegou aos 26 ilustres convocados que viajam até ao Qatar para serem campeões do mundo. Agora, só têm de jogar bem para fazer a vontade ao selecionador.


Após longas horas de observação e reuniões intermináveis, o selecionador nacional, Fernando Santos, elegeu aqueles que, em sua opinião, são os melhores jogadores para defender as cores nacionais no campeonato do mundo do Qatar, que começa na próxima semana. Da lista de 26 eleitos, há três guarda-redes, oito defesas, nove médios e seis avançados. As escolhas são sempre discutíveis – todos os que gostam de futebol têm um pouco de selecionador – mas, a partir agora, esta é a equipa que vai entrar em campo com as quinas ao peito – é a nossa seleção! Fernando Santos sabe que lidera uma das seleções mais fortes deste Mundial, e não teve dúvidas em afirmar: “Tenho total confiança nos jogadores escolhidos e acredito que podemos ser campeões do mundo, é isso que esta equipa pode dar. Esperamos ser recebidos em festa”. Além de Portugal, o selecionador aponta outros candidatos, “é como nos campeonatos nacionais. Quem ganhou a última edição é o principal favorito, neste caso a França é favorita porque é a atual campeã do mundo. Depois há um conjunto de equipas que podem ganhar, onde Portugal está incluído”. 

Este é o primeiro mundial onde os selecionadores podem levar para a fase final 26 jogadores (mais três), tal como tinha acontecido no europeu em 2021. Obviamente que ajudou a tarefa do selecionador, mas não resolveu o eterno problema dos que ficaram de fora. Escolher 26 num universo com tamanha qualidade como é o futebol português é uma grande dor de cabeça, mas é preferível Fernando Santos ter esse incómodo do que olhar à volta e não ter os jogadores que desejava. Relativamente às sua escolhas, disse: “As nossas convocatórias foram sempre feitas tendo por base as observações que fazemos ao longo da época. Queremos abordar o Campeonato do Mundo, potenciando ao máximo a capacidade dos jogadores nos vários momentos do jogo. Eu acredito muito nestes jogadores e os portugueses devem acreditar também”.  Fernando Santos referiu ainda que “há um plano base para cada jogo. Vamos trabalhar para ter outras possibilidades, caso o plano inicial não esteja a resultar. O que importa é a dinâmica em cada momento do jogo. Olhamos com muita atenção para o potencial de cada jogador e de que forma pode ser usado na seleção”.

Jogar na oportunidade Fernando Santos pretendeu encontrar o equilíbrio entre o passado na seleção e a qualidade e o momento de forma de cada jogador, pois não há tempo para treinar e vai ter pela frente uma competição que se deseja longa para Portugal. A convocatória tinha uma meia-surpresa, caso da chamada de António Silva, já as ausências foram as esperadas; Diogo Jota e Pedro Neto ficam de foram por lesão, já João Moutinho e Renato Sanches, dois campeões europeus em 2016, parece terem passado à história. Em relação ao jovem defesa, o selecionador justificou a escolha, “convocámos com base no nosso trabalho e nas observações que fazemos ao longo da época. Não é nada de novo em relação ao nosso estilo de convocatória”. A altura em que se realiza o Mundial merece crítica por parte do selecionador: “É verdade que há sobrecarga até porque as grandes competições de seleções costumavam ser no fim da época, e, nessa altura, tínhamos quatro semanas e desta vez não. É tudo diferente. As equipas têm jogado no fim e a meio da semana. Por isso temos visto jogadores a acusar o cansaço, como o Mané ou o Kane. Não é bom para os clubes, não é bom para ninguém”, fez questão de referir. Sobre Cristiano Ronaldo, o selecionador está tranquilo, “vamos esperar, vamos ver. Não falem do que ele era há um mês, há quatro jogos que é efetivo e vai ser importante para a seleção. Vêm todos com uma fome para tornar Portugal campeão do mundo” fez questão de sublinhar. Importa referir que é possível fazer alterações na lista final enviada à FIFA em caso de lesões ou doença grave. O prazo para qualquer mudança termina 24 horas antes da estreia da seleção, ou seja, no dia 23 de novembro, e tem de ser aprovada pela Comissão Médica da FIFA. 

Jogo em Alvalade A seleção nacional começa a viver oficialmente o clima do Mundial a partir de segunda-feira, dia 14 de novembro, quando se concentrar na Cidade do Futebol, em Oeiras. Segue-se o jogo de preparação contra a Nigéria, treinada por José Peseiro, a 17 de novembro, no Estádio José Alvalade. A comitiva viaja para o Qatar no dia seguinte e tem o primeiro jogo frente ao Gana, dia 24 de novembro, no dia 28 joga com o Uruguai, e, a 2 de dezembro, defronta a Coreia do Sul, de Paulo Bento. “É muito apertado. Temos de encontrar um modelo de trabalho”, disse o selecionador nacional.

Cristiano Ronaldo foi dos primeiros a reagir à convocatória de Fernando Santos para o Mundial. Numa mensagem publicada na rede social Instagram, o avançado sublinhou a necessidade de todos os portugueses apoiarem a seleção “uma vez mais, prontos para elevar bem alto o nome de Portugal! São 26 os nomes na lista do Mister Fernando Santos, mas estamos todos convocados! Força Portugal!”, escreveu o capitão da seleção nacional.

Os comentários estão desactivados.