Sociedade

SEF fecha portas a casa de alterne no Porto

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras deu cumprimento a cinco mandados de buscas judiciais, na sequência de um processo criminal onde investigou a atividade de um grupo criminoso dedicado ao auxílio à imigração ilegal para "efeitos de exploração sexual de cidadãs estrangeiras". 

SEF fecha portas a casa de alterne no Porto

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou este domingo que encerrou uma casa da alterne no Porto, tendo sido constituídos dois arguidos portugueses e identificadas 25 mulheres em situação de exploração sexual. 

Em comunicado, o SEF explica que deu cumprimento a cinco mandados de buscas judiciais, na sequência de um processo criminal onde investigou a atividade de um grupo criminoso dedicado ao auxílio à imigração ilegal para "efeitos de exploração sexual de cidadãs estrangeiras". 

"A organização, que recrutava mulheres no estrangeiro, operava numa infraestrutura (armazém) composta por quartos exíguos sem luz natural, construídos em material pré-fabricado", pode ler-se na nota.  

A casa tinha um bar de diversão noturna e alojamentos contíguos. Das 25 mulheres identificadas, três foram “alvo de procedimento para afastamento imediato de território português". O SEF constituiu como arguidos dois cidadãos portugueses. 

Foram apreendidos, no decorrer as buscas, objetos associados a práticas sexuais, uma viatura de alta cilindrada, elevadas quantias de dinheiro e outros objetos como armas, 'tasers', microfones e inibidores de sinal de telemóvel. 

O bar e os alojamentos foram encerrados e "selados à ordem do processo de crime".  

Os comentários estão desactivados.