Politica

Amnistia Internacional "estupefacta" com declarações de Marcelo

"O Qatar não respeita os direitos humanos, mas esqueçamos isto", disse o chefe de Estado.


O Presidente da República fez, na quinta-feira, declarações sobre o país anfitrião do Mundial de futebol, que começa no domingo, e que continuam a gerar controvérsia. "O Qatar não respeita os direitos humanos, mas esqueçamos isto", disse o chefe de Estado.

Depois do apelo da coordenadora do Bloco de Esquerda para Marcelo Rebelo de Sousa não marcar presença no evento, chega a reação da Amnistia Internacional.

“Fiquei estupefacto com o comentário do Presidente da República, porque é uma pessoa que muito estimamos, e um cargo que muito respeitamos. Esse respeito e estima vem de que Marcelo Rebelo de Sousa normalmente está na linha da frente na defesa dos direitos fundamentais, dos direitos humanos”, afirmou Pedro Neto, presidente da Amnistia Internacional Portugal.

O dirigente da ONG disse ainda que não há razão para que o Presidente da República, o primeiro-ministro e o Presidente da Assembleia da República se desloquem ao Qatar e que quer acreditar que Portugal não está conivente com o abuso com o abuso dos direitos humanos no Qatar.

O campeonato do Mundo começa este domingo, rodeado de polémicas.

Os comentários estão desactivados.