Internacional

Turquia afirma ter "neutralizado" 184 guerrilheiros curdos

Os ataques têm sido dirigidos contra a milícia Unidade de Proteção Popular (YPG), na Síria e contra alegadas posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), no Iraque.


A Turquia revelou, esta terça-feira, que os últimos bombardeamentos que efetuou deixaram "fora de combate" 184 alegados guerrilheiros curdos no norte da Síria e no Iraque.

Hukusi Akar, ministro da Defesa turco, disse hoje que a luta do país "vai continuar até que o último terrorista seja neutralizado", adiantando que "184 terroristas foram neutralizados" - significando isto que o inimigo "ficou fora de combate", morreu ou foi capturado. 

O balanço provisório da operação, que começou no fim de semana passado, foi comunicado pelos comandantes do Exército envolvidos no combate, revelou Akar. 

Os ataques têm sido dirigidos contra a milícia Unidade de Proteção Popular (YPG), na Síria e contra alegadas posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), no Iraque.

Tanto o PKK como as milícias YPG, aliadas dos Estados Unidos (EUA) na luta contra o grupo Estado Islâmico, na região, são consideradas como terroristas por Ancara, sendo que o PKK também é considerado "terrorista" pelos EUA e pela União Europeia, contrariamente ao YPG. 

A imprensa turca apresentou a campanha militar de Ancara, projetada no sábado, como represália pelo atentado de 13 de novembro e que fez seis mortos em Istambul. Este foi atribuído ao YPG e à secção síria do PKK, apesar de ambos já terem negado qualquer envolvimento no atentado. 

 

Os comentários estão desactivados.