Desporto

A queda de gigantes. O que se passa com este Mundial?

Argentina perdeu com Arábia Saudita e Japão venceu a Alemanha. Surpresas e polémicas não faltam nesta competição.


O Campeonato Mundial de Futebol no Qatar arrancou no domingo rodeado de controvérsia, mas nada fazia prever que poucos dias depois as surpresas desportivas seriam tantas como as polémicas.

A primeira grande surpresa foi a derrota da Argentina por 2-1 com a Arábia Saudita, num jogo onde os argentinos viram três golos serem anulados. Os sauditas marcaram dois golos seguidos à seleção de Messi e deixaram o mundo de boca aberta.

Assim, a Argentina, uma seleção cheia de estrelas mundias, sucumbiu à 'modesta' seleção da Arábia Saudita, num jogo que parecia ser David contra Golias, e em que, como na história biblíca, foi o mais pequeno que saiu vencedor. Os sauditas são líderes no grupo C, com três pontos.

Ainda no mesmo grupo, a Polónia jogou com o México numa partida que não foi além de um empate a zero. A primeira parte não teve grandes oportunidades, mas o México teve sempre uma prestação mais sólida, no entanto o lance de maior perigo chegou do lado da Polónia, com Lewandowski a falhar - surpreendentemente - um penálti.

Podemos dizer que o dia não correu de feição a Messi e Lewandowski, duas estrelas não só do grupo C, mas de toda a competição.

Pelo contrário, a França iniciou a defesa do título mundial com uma esperada vitória sobre a Austrália, que viu quatro golos a entrarem na sua baliza, tendo marcado apenas um.

Ao que parece, nem as lesões que têm assolado a equipa, com Benzema afastado da competição, conseguiram impedir o triunfo da seleção gaulesa, com golos de Rabiot, Mbappé e Olivier Giroud, que bisou e igualou Thierry Henry como o melhor marcador de sempre da seleção francesa com 51 golos. A França é líder do grupo D com 3 pontos.

Ainda na senda das surpresas, o Japão venceu a Alemanha por 2-1, num jogo marcado pelo protesto dos jogadores alemães - que taparam a boca antes do início da partida - contra o desrespeito dos Direitos Humanos no Qatar. Os germânicos entraram a vencer, mas o Japão conseguiu dar a volta e acabou por dominar a temida Alemanha, campeã mundial de 2014.

Definitivamente, algumas estrelas do futebol mundial parecem estar com pouca sorte e mais uma prova disso foi o empate sem golos da Croácia de Luka Modric com a seleção de Marrocos, num jogo em que também era favorita, mas neste Mundial já vimos que ser favorito não esta a jogar a favor. As duas equipas do grupo F somam um ponto.

Maior sorte terão os apostadores que gostam de ser do contra e preferem escolher as equipas menos óbvias, seleções sonantes como a Argentina e a Alemanha, estavam com “odds” altas nas casas de apostas, ou seja, eram as favoritas à vitória.

Resta saber se amanhã Portugal consegue inverter a tendência de queda de algumas seleções favoritas e se Cristiano Ronaldo desafia a pouca sorte dos grandes craques desta competição.

Os comentários estão desactivados.