Sociedade

Mais de 400 casos de mutilação genital feminina em três anos

Um dos casos foi feito em Portugal. Maioria ocorreu nos países de origem da família.

 

Mais de 400 casos de mutilação genital feminina em três anos

Portugal detetou 433 casos mutilação genital feminina, entre janeiro de 2018 e dezembro de 2021.

Os dados são da Direção-Geral da Saúde (DGS) e são baseados no mais recente relatório da Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil.

A maioria dos casos foi feita na Guiné-Bissau (272) e na Guiné Conacri (126), tendo-se observado um aumento gradual dos registos de mutilações praticadas no Senegal.

Um dos casos, em 2021, ocorreu em território nacional, sublinhou a DGS, cujos dados demonstram também que, em média, a realização da mutilação ocorreu aos 8,4 anos de idade.

 A prática foi detetada na maioria dos casos durante a durante a vigilância da gravidez, e as foram nas unidades da Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo que se descobriram quase a totalidade dos casos, tendo muitas mulheres apresentado sequelas da prática, a que foram submetidas quando crianças.

Os comentários estão desactivados.