Sociedade

Mais de 100 pessoas obrigadas a sair de casa e registadas quase 900 ocorrências devido ao mau tempo

Na freguesia de Minha de Água, o mau tempo levou a que houvesse um aluimento de terras que "atingiu dois barracões, e que levou a que 100 pessoas tivessem sido deslocadas temporariamente das suas habitações", disse o comandante de operações, José Miranda.

Mais de 100 pessoas obrigadas a sair de casa e registadas quase 900 ocorrências devido ao mau tempo

Em atualização

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil informou que mais de uma centena de pessoas tiveram de sair temporariamente das suas casas no concelho de Amadora na sequência do mau tempo que atingiu, principalmente, os distritos de Lisboa e Setúbal. 

Em declarações à agência Lusa, o comandante de operações, José Miranda, disse que desde as 00h00 desta quinta-feira até as 7h00, foram registadas quase 900 ocorrências (849) em todo o país.  

"Destas, 71 por cento ocorreram no distrito de Lisboa e 11 por cento no distrito de Setúbal, sendo que 80 por cento – 673 ocorrências – se devem a inundações", acrescentou. 

Na freguesia de Minha de Água, o mau tempo levou a que houvesse um aluimento de terras que "atingiu dois barracões, e que levou a que 100 pessoas tivessem sido deslocadas temporariamente das suas habitações". 

"Registámos também inundações na Costa da Caparica, em Almada, que provocaram seis deslocados das suas habitações e o resgate de 47 pessoas dos seus veículos", disse a mesma fonte.  

Já em Almada, na freguesia do Feijó, o responsável adiantou que as inundações provocaram 10 desalojados. 

Chuva atinge 63% do valor esperado para todo o mês numa só noite  

A chuva que caiu esta noite atingiu os 80 milímetros, cerca de 63% do valor esperado para o mês de dezembro, informou Patrícia Gomes, meteorologista do IPMA. 

A responsável acrescentou que a precipitação que caiu desde o final da tarde de quarta-feira "não tem nada de extraordinário, uma vez que é inverno e situações de chuva são bastante recorrentes nesta altura do ano". 

O que há a destacar, disse ainda, foram "os valores que ocorreram em alguns locais, bastante elevados e que atingiram valores para avisos laranjas e pontualmente avisos vermelhos em alguns locais, numa hora e em seis horas". 

A situação deveu-se "a uma depressão centrada entre os Açores e o continente, ligeiramente cavada e que transporta uma massa de ar quente e instável e que acabou por afetar o território do continente e originou precipitação forte em alguns locais". 

Marcelo lamenta morte em "condições dramáticas"

Presidente da República lamentou ainda ontem a morte de uma mulher de 55 anos, em Algés, devido ao mau tempo, no concelho de Oeiras.  

"Eu queria apresentar naturalmente os meus sentimentos à família da senhora que faleceu nestas condições dramáticas. Tão nova", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas, em Alcântara, acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas. 

O Presidente da República não quis apontar dedos, mas a "grande lição a tirar" é a "necessidade de obras estruturais na capital". 

 

Os comentários estão desactivados.