Opiniao

Ouro, incenso e livros: oito sugestões para o natal

Se ainda não teve oportunidade de comprar os presentes da praxe ou se é simplesmente daquelas pessoas que gostam de deixar tudo para a última, não se preocupe. Do romance português à história da Rússia, deixamos-lhe oito sugestões capazes de satisfazer o leitor mais exigente.

Ouro, incenso e livros: oito sugestões para o natal

Linha da Frente
Arturo Pérez-Reverte €22,90
ASA

Pérez-Reverte já admitiu em entrevista que sem a experiência de vinte anos adquirida como repórter de guerra (nomeadamente na Bósnia) jamais se teria teria atrevido a escrever um romance sobre a Guerra Civil espanhola. E o que nos dá aqui não é apenas a guerra, mas a guerra vista de perto. Em particular um dos seus episódios mais sangrentos do conflito que opôs republicanos e nacionalistas no país vizinho, a Batalha do Ebro. «Um balázio deita abaixo o tenente, que morre de boca aberta para uma ordem de ataque ou de retirada: já é impossível sabê-lo. Uma metralhadora de granada rebenta a barriga de outro homem, que cai no chão pisando as próprias tripas e põe-se a guinchar que nem um porco tentando mantê-las outra vez dentro da barriga». 

Os pilares da terra
Ken Follett €34,90
Presença

Jack Jackson é um pedreiro talentoso que, após viajar por França e Espanha, pretende levantar a primeira catedral gótica de Inglaterra. «A igreja atual era velha, feia e pouco prática; e o facto de a torre noroeste ter ruído poderia ser um indício de que toda a estrutura estava comprometida. As igrejas modernas eram mais altas, mais comprimidas e – acima de tudo – mais bem iluminadas». Para isso, vai contar com o apoio de Philip, o prior que tem a missão de pôr as finanças em boa ordem e o sonho de construir uma nova igreja que seja um «símbolo da regeneração de Kingsbridge». O grande romance medieval de Follett, reunido num só grosso volume.

O tamanho do mundo
António Lobo Antunes €18,90
D. Quixote

«Tão sensível a pele em sítios que nem imaginamos, espanta-me sempre a quantidade de nós que não conhecemos», ouvimos a páginas tantas pensar uma das personagens deste romance. Também a escrita de Lobo Antunes parece ser um tactear constante no desconhecido, para sondar e revelar o que há no interior do grande reservatório que é a cabeça de cada um. Falando sobre a juventude e a velhice, a solidão e o desejo, O Tamanho do Mundo é talvez acima de tudo um livro sobre a importância de afinar o ouvido para escutar as coisas pequenas.

O longo braço do passado
Rui de Azevedo Teixeira €17
Guerra & Paz

Depois dos anos da guerra, soberbamente descrita no primeiro volume do tríptico (Elogio da Dureza), Paulo de Trava Lobo, um ex-comando licenciado em Letras e aficionado de Camões (como o autor), regressa a Angola, onde a violência continua à solta. E a libido também: enquanto ensina literatura na universidade, Paulo envolve-se com uma cooperante búlgara, e acaba por ver-se enredado numa teia de chantagem. Pelo meio, participa num crime de vingança, descrito com uma crueza e uma verosimilhança extraordinárias. Um romance empolgante e com momentos perturbadores.

Beowulf
Tradução, introdução e notas de Luísa Azuaga e Angélica Varandas
€22,20
Assírio & Alvim

O épico anglo-saxão que fascinou Jorge Luis Borges e inspirou profundamente J.R.R. Tolkien conhece a sua primeira edição portuguesa, numa tradução do inglês antigo que levou dez anos a concretizar. Escrito possivelmente no século VIII (só se lhe conhece um manuscrito do século XI que por pouco não foi consumido por um incêndio), conta a vida e as proezas bélicas de Beowulf, príncipe dos Geats (um povo germânico relacionado com os Godos). Uma das suas vítimas é o monstruoso Grendel, que devorara «enquanto dormiam, quinze homens do povo dinamarquês». De autoria anónima, Beowulf utiliza uma linguagem que em muitos momentos se assemelha a uma arma forjada no fogo, combinando o vigor, a elegância e a acutilância.

Budapeste - do este ao oeste
Victor Sebestyen €29,90
Edições 70

Diz-se que foi ali, na antiga Aquinco, nos confins do império romano, às portas do Oriente, que Marco Aurélio terá escrito partes dos seus Pensamentos Para Mim Próprio. Com uma história tão longa e tumultuosa como o curso do Danúbio, a Budapeste moderna, como a conhecemos, nasce no século XIX da unificação das duas metades. O icónico edifício neogótico do Parlamento, na praça Kossuth, resulta também dessa congregação de forças. Mas nem tudo no passado da cidade é tão idílico como o reflexo da pedra rendilhada nas águas do rio. Robert Capa, o famoso fotógrafo húngaro, descreveu-a assim após os saques do exército vermelho durante a II Guerra Mundial: «Parecia uma mulher bela a quem arrancaram os dentes».

Os otomanos
Marc David Baer €26,60
Temas e Debates

Em 1529, depois de se terem apoderado de Buda (Hungria), os exércitos às ordens de Solimão I cercaram a cidade de Viena. Com a chegada do outono, porém, o califa mandou levantar ocerco e deu ordem às tropas para regressarem a casa. Por pouco a capital do império Habsburgo não caiu nas mãos dos turcos – que deixaram, ainda assim, um novo hábito: o café. Mas Baer argumenta que o império Otomano, que ocupou largas regiões do velho continente, não é um corpo estranho e exótico na Europa, tendo antes feito sempre parte dela. O último capítulo desta história que começa no século XIII é dedicado a uma avaliação do genocídio arménio no contexto da Grande Guerra.

A história da Rússia
Orlando Figes €22.20
D. Quixote

Do grão-príncipe Vladimir, governante dos Rus de Kiev e considerado o ‘primeiro czar’, ao todo-poderoso Vladimir Putin, o invasor da Ucrânia. Os protagonistas, mitos e os factos da história da Rússia, naturalmente privilegiando os acontecimentos políticos e militares, mas sem esquecer as dimensões social, cultural e religiosa. Autor de obras tremendas como A Tragédia de um Povo – a Revolução Russa (1891-1924), Sussurros – A vida privada na Rússia de Estaline e Natasha’s Dance – A cultural history of Russia, Figes oferece-nos agora uma síntese límpida e enxuta, concebida para nos ajudar a compreender como a Rússia se tornou aquilo que é hoje.

Os comentários estão desactivados.