Opiniao

Lula e Putin - o telefonema incómodo

Tivesse sido Bolsonaro a ligar ao inquilino do Kremlin, teríamos o habitual e ruidoso coro de críticas. Como foi o ‘sagrado’ Lula, a grande maioria da comunicação social e da blogosfera optaram por um cobarde, conivente e comprometedor silêncio. O habitual dois pesos e duas medidas! Vergonhoso!

Lula e Putin - o telefonema incómodo

por Henrique Santos
Politólogo

A 16 de fevereiro passado, 8 dias antes da invasão da Rússia à Ucrânia, o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, reuniu-se com o Presidente da Rússia. A tensão era crescente com o avolumar das forças russas na fronteira com a Ucrânia. E mesmo se, mentindo como habitualmente, Putin terá negado ao seu convidado ter qualquer atitude belicista, a generalidade da comunicação social nacional e internacional e as redes sociais planetárias deram largas a um dos seus desportos favoritos: zurzir em Bolsonaro! Como era possível alguém falar com o ‘novo Hitler’ do século XXI.

Esta semana, o Presidente eleito Lula da Silva teve uma longa conversa telefónica com o dito ‘Adolfo’ Putin. Antes, Lula já tinha feito declarações polémicas repartindo a responsabilidade pela guerra entre Putin, o invasor, e Zelensky, o invadido! Claro que terá dito ao seu interlocutor que o Brasil quer privilegiar a paz. Mas alguém pensa, na sua insanidade, que Bolsonaro terá dito algo diferente? Terão combinado também encontrar-se algures numa reunião internacional em 2023 ou quando Lula se deslocar a Moscovo.

Faltava a cereja em cima do bolo. Putin terá indicado a Lula quem o representará na tomada de posse a 1 de Janeiro: Valentina Matviyenko, a senadora de São Petersburgo que é presidente do Conselho da Federação, a Câmara Alta ou Soviete da Federação, desde 2011. Aliada muito próxima de Putin, integra desde 2014, fruto das suas posições sobre a anexação da Crimeia e mais recentemente no apoio à invasão da Ucrânia, a lista dos cidadãos soviéticos com sanções impostas pelos Estados Unidos e pela União Europeia. Na lista da União Europeia que contem atualmente 1267 nomes, Matviyenko ocupa o desonroso lugar número 24!

Ora, nos dias que se seguiram à breve e lacónica notícia do telefonema, foi um silêncio ensurdecedor aquele que ocorreu sobre comentários à iniciativa de Lula. Tivesse sido Bolsonaro a ligar ao inquilino do Kremlin, teríamos o habitual e ruidoso coro de críticas. Como foi o ‘sagrado’ Lula, a grande maioria da comunicação social e da blogosfera optaram por um cobarde, conivente e comprometedor silêncio. O habitual dois pesos e duas medidas! Vergonhoso!

Os comentários estão desactivados.