Politica

Nova secretária de Estado da Agricultura tem várias contas arrestadas

Há uma discrepância significativa entre o rendimento declarado por Carla Alves e o marido, ex-presidente da câmara de Vinhais, e o valor que foi sendo depositado nas contas conjuntas do casal. Américo Pereira foi acusado de corrupção pelo Ministério Público, que exige a devolução de 700 mil euros ao Estado.


A tomada de posse foi esta quarta-feira e hoje já uma nova polémica a assombrar um dos novos membros do Governo.

A recém-empossada secretária de Estado da Agricultura, Carla Alves, tem várias contas arrestadas, desde março de 2022, no âmbito de uma investigação que visa o marido, ex-presidente da Câmara de Vinhais.

A notícia, avançada pelo Correio da Manhã, dá conta de que além das contas conjuntas do casal, foram também arrestados bens móveis e imóveis.

Segundo aquele jornal, há uma discrepância significativa entre o rendimento declarado e o valor que foi sendo depositado nas contas conjuntas, entre 2013 e 2020, período abrangido pela investigação.

Sublinhe-se que Carla Alves não é arguida no processo em que o Ministério Público pede o julgamento do marido, antigo autarca de Vinhais, Américo Pereira, por alegados crimes de corrupção ativa e prevaricação, dos quais estão também acusados mais dois arguidos, nomeadamente um empresário e um padre.

"Estes são detentores de património incongruente e não declarado fiscalmente, num valor superior a mais de 3, 5 milhões de euros", segundo a acusação do MP, que pede que seja declarada perdida a favor do Estado esta quantia, da qual cerca de 700 mil euros dizem respeito ao casal.

Além desta polémica, e ainda segundo o Correio da Manhã, a nova secretária de Estado terá também acumulado funções camarárias com atividades privadas, o que viria, posteriormente, a ser considerado ilegal.

Em 2017, Carla Alves estava à frente de uma associação sem fins lucrativos e adjudicou diretamente ao cunhado uma prestação de serviços no valor de 33 mil euros.

 

Os comentários estão desactivados.