Opiniao

Costa não é Luís de Matos, mas precisa de um coelho

Parece inevitável António Costa ir à dita sociedade civil encontrar gente sem um passado duvidoso e que seja convidada pelas suas qualidades e não pelo cartão do partido

Costa não é Luís de Matos, mas precisa de um coelho

A semana política tem sido um verdadeiro forrobodó e António Costa deve estar a pensar que coelho da cartola pode tirar para se safar deste imbróglio, embora esteja a demonstrar um amadorismo pouco habitual. Depois da ‘palhaçada’ com as anteriores nomeações de secretários de Estado, o primeiro-ministro não se deu ao trabalho de mandar fiscalizar a folha de cada candidato? Insólito.

Não me lembro de uma maioria de um só partido ser desbaratada desta forma, e ninguém sabe muito bem onde poderá acabar esta tragédia ou comédia do novo Governo de António Costa. É que além da oposição, o primeiro-ministro vai ter o enfant terrible à perna, depois de este passar um mês a recuperar forças e a auscultar as suas tropas.

Independentemente destas ‘guerras’, Costa nunca pensou que o Presidente da República demonstraria tanta assertividade nas críticas ao forrobodó governamental. Se Marcelo teve até agora a ajuda do Correio da Manhã, que fez cair dois secretários de Estado em tão poucos dias, a verdade é que Marcelo só está a fazer o que prometeu: que iria fiscalizar a prata da casa.

Num ano tão importante para o país, o que menos precisávamos era de uma grave crise institucional, apesar da maioria absoluta. Começo a acreditar que António Costa terá de mandar o Governo abaixo e nomear um novo. Não creio que eleições antecipadas possam ser realizadas numa altura em que é preciso tomar decisões tão importantes, em relação aos fundos estruturais.

Mas Costa terá mesmo que tomar alguma decisão, antes que os seus camaradas comecem a dizer que querem uma nova liderança e novas eleições. É que isto começa a ser mau demais.

Parece inevitável António Costa ir à dita sociedade civil encontrar gente sem um passado duvidoso e que seja convidada pelas suas qualidades e não pelo cartão do partido. Só dessa forma poderá ‘conquistar’ de novo o Presidente da República, pois Marcelo sabe perfeitamente que se dissolver o Parlamento, a situação ainda ficará pior. segundo todas as sondagens, o PS ainda está à frente, perdendo, é certo, a maioria. Mas alguém, em ano de euromilhões dos fundos comunitários, quer outra geringonça? Não me parece. Portanto, Costa terá mesmo de tirar o tal coelho da cartola.

P. S. Perante tamanha confusão, nada como nos divertirmos. Eu na semana passada assisti a dois espetáculos geniais: o de Luís Matos e o do Cirque du Soleil. O mágico português está em grande forma e é um dos grandes valores deste país.

P. S. 2 E o que dizer do revisionismo histórico que agora aparece na versão hollywoodesca de atores que querem processar realizadores e estúdios por se terem despido há 50 anos? O mundo está mesmo louco.
vitor.rainho@nascerdosol.pt

Os comentários estão desactivados.