Internacional

Rússia e Ucrânia culpam-se pela quebra do cessar-fogo

Apesar dos apelos a que hostilidades na Ucrânia fossem suspensas por ocasião do natal ortodoxo, continuou a haver troca de fogo na linha da frente. 


Um cessar-fogo unilateral declarado por Vladimir Putin, por ocasião do natal ortodoxo, a 7 de janeiro, teve pouco impacto real e ambos os lados se culpam mutuamente. Pelo menos um bombeiro ucraniano foi morto num ataque russo ao seu quartel, enquanto o Kremlin se queixa de que a cidade de Donetsk foi atingida. 

O ministério da Defesa russo assegurou que estava a cumprir o cessar-fogo ao longo de toda a linha de contacto, apesar das evidências do contrário. Já o responsável militar ucraniano por Lugansk, Serhiy Haidai, avisou que a promessa de uma trégua de natal pelos russos era uma "mentira e uma armadilha", apelando a que os residentes não se congregassem em igrejas dado que a Rússia podia estar a planear "ataques terroristas", em declarações citadas pela BBC. Soaram sirenes de alerta de ataque aéreo por toda a Ucrânia nesta véspera de natal ortodoxo.

Os comentários estão desactivados.