Economia

INE confirma inflação de 9,6% em dezembro. Taxa anual fica nos 7,8%

Inflação média anual registou o valor mais elevado dos últimos 30 anos.

INE confirma inflação de 9,6% em dezembro. Taxa anual fica nos 7,8%

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta quarta-feira que a inflação recuou em dezembro pelo segundo mês consecutivo. A taxa de inflação foi de 9,6% e o abrandamento é explicado pelo alívio nos preços da energia e dos alimentos não transformados.

“Em dezembro de 2022, o IPC [Índice de Preços ao Consumidor] registou uma variação homóloga de 9,6%, taxa inferior em 0,3 pontos percentuais (p.p.) à observada em novembro. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a variação homóloga foi 7,3% (7,2% no mês anterior), taxa mais elevada desde dezembro de 1993. Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação de -0,3% em dezembro (0,3% no mês anterior e nula em dezembro de 2021)”, explica o gabinete de estatística.

Fazendo as contas a todo o ano de 2022, o IPC ficou nos 7,8%, “significativamente acima da variação registada no conjunto do ano 2021”, que foi de 1,3%. “Trata-se da variação anual mais elevada desde 1992”.

Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação média situou-se em 5,6%, um valor muito acima dos 0,8% do ano anterior. “A taxa de variação homóloga do IPC total evidenciou uma acentuada subida ao longo de 2022, com maior intensidade na primeira metade do ano. No segundo semestre de 2022 a variação homóloga do IPC manteve-se elevada e acima da média do ano, mas observou-se uma desaceleração dos preços nos últimos dois meses do ano. A variação média registada no segundo semestre (9,5%) foi superior à do primeiro (6,1%)”, avança ainda o gabinete de estatística.

Já o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação média de 8,1% em 2022 (0,9% no ano anterior). A taxa de variação homóloga situou-se em 9,8% em dezembro, taxa inferior em 0,4 p.p. à observada em novembro de 2022 e superior em 0,6 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em novembro de 2022, esta diferença foi de 0,1 p.p.).

Os comentários estão desactivados.