Economia

Dormidas de não residentes em novembro com maior crescimento face a 2019

Proveitos turísticos mais do que duplicam até novembro.


O setor do alojamento turístico registou 1,7 milhões de hóspedes (+19,7%) e 4,2 milhões de dormidas (+19,4%) em novembro deste ano, o que corresponde a 288,6 milhões de euros de proveitos totais (+36,8%) e 214,2 milhões de euros de proveitos de aposento (+40,3%).

Os dados foram revelados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que revela ainda que comparando com o mesmo mês de 2019, registaram-se aumentos de 25,5% nos proveitos totais e 29,2% nos relativos a aposento (+27,0% e +27,8% em outubro, respetivamente).

O gabinete de estatística revela ainda que as taxas líquidas de ocupação-cama e de ocupação-quarto nos estabelecimentos de alojamento turístico (35,3% e 45,4%, respetivamente) foram semelhantes às registadas em novembro de 2019 (35,2% e 45,6%, pela mesma ordem).

Já o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 39,8 euros, em novembro, e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 87,6 euros (+31,4% e +18,1% face a novembro de 2021, respetivamente). Em relação a novembro de 2019, o RevPAR aumentou 23,8% e o ADR cresceu 24,2%.

Ainda no  que diz respeito ao mês em análise, entre os municípios com maior representatividade no total de dormidas, o destaque foi para Lisboa com uma recuperação face aos níveis de 2019 e Albufeira que apresentou ainda uma redução de dormidas face a 2019, em ambos os casos maioritariamente devido aos não residentes.

Fazendo as contas ao conjunto dos primeiros 11 meses do ano passado, os proveitos do setor do alojamento turístico cresceram 118,2% no total e 120,4% nos relativos a aposento (+16,2% e +17,4%, face a igual período de 2019, respetivamente), em resultado de 24,9 milhões de hóspedes (+86,6%) e 65,8 milhões de dormidas (+89,4%).

Os comentários estão desactivados.