Desporto

Primeira liga. Afinal, quem manda em casa?

Fechado o ciclo de jogos entre os grandes, a segunda volta está à porta. O Sporting têm o calendário mais favorável e o FC Porto joga sempre em casa dos rivais. Será isso determinante para decidir o título?


por João Sena

Benfica e Sporting estragaram a vida um ao outro e ofereceram dois pontos ao Braga e FC Porto. A luta pelo título ficou decididamente mais aberta depois do último grande jogo da primeira volta. O dérbi de Lisboa terminou empatado (2-2) e era grande a insatisfação de quem queria e precisava mais do que um simples pontinho. Roger Schmidt e Rúben Amorim jogaram para vencer e não sairam convencidos do dérbi. Ambos afirmaram que foi um bom jogo, muito intenso e com oportunidades para marcar, e que a sua equipa podia ter ganho. O empate foi mais penalizador para o Sporting, que perdeu a oportunidade de encurtar distâncias para os rivais. Como tem uma segunda volta mais favorável, uma vez que joga em casa com as equipas que estão à frente na classificação, a bipolaridade da equipa, como lhe chamou Rúben Amorim, pode dar lugar a uma dinâmica diferente.

No próximo fim de semana termina a primeira volta com o Benfica a ir jogar aos Açores frente ao Santa Clara, o Braga a defrontar o aflito Paços de Ferreira, o FC Porto com uma deslocação sempre apertada a Guimarães e o Sporting com pelo menos aparente vida mais tranquila, uma vez que recebe o Vizela. Qualquer que seja o resultado obtido pelas equipas que ocupam os quatro primeiros lugares, tudo se vai decidir numa segunda volta, que tem particularidades interessantes e, quiçá, decisivas na atribuição do título nacional e dos lugares de acesso à desejada Liga dos Campeões da próxima época, que é a salvação financeira dos clubes portugueses. Há muito para jogar e decidir até final de maio, surgindo ainda pelo meio, em fevereiro e março, as eliminatórias da Liga dos Campeões (Benfica e FC Porto), Liga Europa (Sporting) e Liga Conferência (Braga).

Olhando para o calendário, o Sporting tem a vantagem teórica de receber Braga, FC Porto e Benfica em sua casa. Em contrapartida, os atuais campeões nacionais vão ter que jogar sempre em casa dos rivais que estão na luta pelo título. Com um calendário destes, os leões não atiram a toalha ao chão, apesar da distância pontual para o Benfica, Braga e FC Porto ser enorme. O treinador é o grande motivador: “Aposto sempre na minha equipa, e acredito que vamos vencer os jogos. É uma equipa talentosa, que nem sempre é consistente, mas quando está num dia bom pode vencer qualquer adversário”, frisou Rúben Amorim.

A segunda volta começa logo com o Sporting-Braga (18.ª), um jogo importante para as duas equipas. Quem cair nesse jogo fica com a vida complicada, sobretudo se os adversários forem competentes nos seus jogos. Duas jornadas depois, os leões recebem em casa os campeões nacionais e é nova oportunidade para viver ou morrer – isto aplica-se às duas equipas. Depois dos confrontos com os clubes que estão imediatamente à sua frente, o Sporting fecha o ciclo dos grandes com a receção ao Benfica, na penúltima jornada. Alguém vai sair queimado do dérbi que incendeia paixões. No final do dérbi de domingo, o treinador do Benfica realçou o facto de “faltarem muitas jornadas”. “Temos muito a retirar deste jogo, que não vencemos, mas por vezes é importante ter este tipo de encontros”, afirmou Roger Schmidt. O Benfica não se pode queixar do calendário. Na segunda volta, os encarnados têm jogos teoricamente mais acessíveis nas primeiras nove jornadas, mas depois entram na fase do tudo ou nada: recebem o FC Porto (27.ª) e o Braga (31.ª) e têm a perigosa deslocação a Alvalade (33.ª e penúltima jornada).

Se o Sporting e o Benfica têm a possibilidade de disputar os jogos mais importantes recebendo o carinho dos seus ferverosos adeptos, já o Braga e, sobretudo, o FC Porto vão ter de enfrentar o ambiente hostil de jogar em casa alheia. Os campeões nacionais vão passar a segunda volta fora do Dragão: Alvalade (20.ª), Braga (25.ª) e Luz (27.ª), e nestes jogos muita coisa se vai decidir. O Braga quer manter o nível competitivo evidenciado até agora e começa a segunda volta com a sempre difícil viagem a Lisboa para defrontar o Sporting, seguindo-se a receção ao FC Porto (25.ª) e nova viagem à capital para defrontar o Benfica. Vai ser um final de época com emoção e intensidade.

Os comentários estão desactivados.