Sociedade

"Não há nenhuma razão" para cursos de Medicina não abrirem em universidades privadas

Declarações foram feitas esta terça-feira pelo Ministro da Saúde. 


Manuel Pizarro disse esta terça-feira que "não há nenhuma razão" para que não abram cursos de medicina em universidades privadas e que vê com "bons olhos" a abertura de novos cursos no ensino público. 

"Não há nenhuma razão para que esteja vedada às universidades privadas a abertura de cursos de medicina. Mas também vejo com muito bons olhos a possibilidade de haver novos cursos públicos, sobretudo em localizações onde a presença desses cursos pode ajudar a atrair profissionais no futuro", afirmou hoje, depois de ter sido noticiado pelo jornal Público a abertura de um curso de medicina na Universidade Fernando Pessoa. 

De acordo com o mesmo jornal, trata-se de um mestrado integrado de seis anos que "funcionará em ligação com hospital que a instituição tem em Gondomar".

A decisão terá sido tomada na semana passada apesar de ainda não ter sido oficializada, sendo que este é o segundo curso de medicina a abrir numa univesidade privada, depois do curso da Universidade Católica Portuguesa.

Quanto à necessidade de coordenar as especialidades com as necessidades existentes nos serviços públicos de saúde, o ministro afirmou: "A formação pré-graduada é de natureza generalista, só depois, na pós-graduada, é que faremos um esforço para dotar os serviços da maior capacidade possível de atrair jovens para as profissões da saúde".

Pizarro admitiu ainda que estava em estudo a possibilidade de abertura de novos cursos de medicina em universidades públicas de outras zonas do país, como é o caso de Évora, Vila Real e Aveiro. 

 

Os comentários estão desactivados.