Economia

Costa diz que há bons indicadores para a economia portuguesa este ano

“Não vai ser o nosso ano de sonho, mas não vai ser um ano de pesadelo”, disse o primeiro-ministro.


“Há bons indicadores para 2023. Não vai ser o nosso ano de sonho, mas não vai ser um ano de pesadelo. Vamos poder viver com confiança. Felizmente, os sinais são bons”. A expectativa foi deixada esta quarta-feira pelo primeiro-ministro.

António Costa destacou que Portugal foi, no ano passado, o segundo da União Europeia a mostrar o maior crescimento, lembrando o desemprego “em mínimos históricos” e que a economia nacional “conseguiu resistir” apesar da inflação.

Estas foram as opiniões do primeiro-ministro no que diz respeito à evolução da economia portuguesa no próximo ano e que foi transmitida no final de mais uma sessão do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) em Movimento.

António Costa defendeu ainda que “com a atual trajetória de desaceleração da inflação, as expectativas económicas podem ser boas”. E acrescentou: “Isso é fundamental, porque um dos sucessos na Segurança Social, na capacidade de responder às famílias e às empresas, tem sido os elevados níveis de emprego e a melhoria dos rendimentos que tem permitido um crescimento sustentado das receitas da Segurança Social”.

Os comentários estão desactivados.