Internacional

Primeira-ministra da Nova Zelândia renuncia ao cargo

"Sou humana. Damos tudo o que podemos pelo tempo que podemos e então chega o momento. E para mim, é o momento", justificou Jacinda Ardern, garantindo que não há qualquer escândalo desconhecido por trás da decisão.


Jacinda Ardern anunciou que renunciava ao cargo de primeira-ministra da Nova Zelândia, tendo convocado eleições para 14 de outubro.

Em conferência de imprensa adiantou ainda que ficará no cargo até ao próximo dia 7 de fevereiro, enquanto o seu partido - Partido Trabalhista - encontra uma nova pessoa para ocupar o seu lugar.

"Dei tudo de mim para ser primeira-ministra, mas isso também exigiu muito de mim", disse Ardern, citada pela imprensa neozelandesa.

"Não posso e não devo fazer o trabalho a menos que tenha um tanque cheio e um pouco de reserva para os desafios não planeados e inesperados que inevitavelmente surgem. Tendo refletido no verão, sei que não tenho mais aquele pouco extra no tanque para fazer justiça ao trabalho. É simples", acrescentou, sublinhando que a sua decisão não se deve a "nenhum escândalo desconhecido".

"Sou humana. Damos tudo o que podemos pelo tempo que podemos e então chega o momento. E para mim, é o momento", justificou.

Este domingo, o Partido Trabalhista deve eleger o líder da força partidária e o novo primeiro-ministro, que governará até 14 de outubro, data em que se realizarão as eleições.

Os comentários estão desactivados.