Politica

Montenegro revoltado e indignado com tentativas de o associarem à Operação Vórtex

"Se há fotografias minhas, não tenho nada contra isso, pelos vistos terão sido numa ocasião pública. (…) Aproveitar isso para me tentarem enlamear num processo que está em investigação, é revoltante e repugnante", afirmou o líder social-democrata.


O presidente do PSD mostrou-se, esta sexta-feira, "revoltado e indignado" com o que chama de tentativas de o associarem à Operação Vórtex.

"Fico absolutamente revoltado e indignado com estas tentativas, em que me tentam envolver numa situação com a qual não tenho nada a ver. Acho mesmo que os senhores jornalistas e os titulares do poder de investigação devem ter um comportamento deontológico de respeito por todos nós", afirmou Luís Montenegro, à margem de uma visita à fábrica do Licor Beirão e ao Laboratório de Estudos sobre incêndios Florestais.

"Se há fotografias minhas, não tenho nada contra isso, pelos vistos terão sido numa ocasião pública, de uma reabertura ou inauguração de um restaurante. Aproveitar isso para me tentarem enlamear num processo que está em investigação, é revoltante e repugnante", adiantou, a propósito das fotografias em que surge com um empresário detido no âmbito da Operação Vórtex.

Montenegro explicou ainda que conheceu a pessoa em causa quando foi “a um restaurante que estava a reabrir e que é um restaurante emblemático” de Espinho. E acrescentou que não tem qualquer "relação pessoal, profissional ou política com estas pessoas".

Para o líder do PSD, as tentativas de associação à operação criminal "só podem ter motivações políticas e, quando isso acontece, o estado de direito e a democracia ficam mais fracos".

Os comentários estão desactivados.