Sociedade

Metade das ruas da baixa do Porto vão passar a ter trânsito condicionado

Objetivo é chegar a uma área que corresponde a trinta quilómetros.


O plano de condicionamento do trânsito nas ruas da baixa da cidade do Porto está pronto para ser apresentado, com o objetivo de chegar a “metade dos arruamentos”. Conta, não só com zonas de acesso automóvel condicionado, como com diminuição da velocidade e zonas reservadas só a peões.

Durante a visita à rua Alexandre Braga, junto ao Bolhão, o vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, informou que o objetivo é expandir esta medida a cerca de 30 quilómetros das artérias da Cidade Invicta.

O projeto será avançado após a conclusão das obras do metro e “será implementado de forma gradual. “Parece-nos que, com a densificação de transportes coletivos que o metro vai introduzir, que faz sentido pensarmos na cidade de outra forma”, justificou Pedro Baganha.

Ao fim de dois meses em obras, a rua junto ao mercado do Bolhão é agora pedonal. Também em visita, o autarca Rui Moreira sublinhou que a cidade passou a ter “uma rua que funciona de forma diferente”.

Estas alterações têm como objetivo atingir a neutralidade de emissões, em 2030, “Queremos uma cidade, que seja em termos ambientais e de sustentabilidade, diferente daquilo que é hoje, e é para isso que estas obras estão a ser feitas", explicou o presidente da Câmara do Porto.

A cidade já conta com cinco quilómetros de ruas com trânsito condicionado.

Os comentários estão desactivados.