Sociedade

Leitura do acórdão do processo e-Toupeira adiado devido a greve de funcionários

Este é o quarto adiamento da leitura do acórdão a acontecer desde novembro de 2022.


A leitura do acórdão do processo e-Toupeira, agendada para as 13h30 desta quarta-feira, foi adiada devido à greve de funcionários judiciais.

Iria acontecer no Tribunal Central Criminal de Lisboa a leitura do processo em que Paulo Gonçalves, ex-assessor jurídico da SAD do Benfica, está acusado de ter subornado funcionários judiciais para espiarem casos a correr na Justiça.

Além deste, eram também arguidos os funcionários judiciais José Silva e Júlio Loureiro. 

Em causa estão crimes de corrupção, acesso indevido e violação de segredo. 

Os factos terão ocorrido em 2018, tendo os funcionários judiciais, de acordo com o Ministério Público, sido subornados com bilhetes para jogos do Benfica e com camisolas da equipa. 

O adiamento da leitura - pela quarta vez desde novembro de 2022 - foi comunicado já depois de os arguidos se terem deslocado ao tribunal, no Campus de Justiça de Lisboa.

 

Os comentários estão desactivados.