Sociedade

Revelada imagem do polémico altar-palco da Jornada Mundial da Juventude

Anacoreta Correia explica que dos 35 milhões de euros que a autarquia vai gastar, 21 milhões são investimento que servem a cidade, mesmo depois do evento que vai decorrer de 1 a 6 de agosto.


A primeira imagem do altar-palco da Jornada Mundial da Juventude, que se vai realizar em Lisboa, foi divulgada esta quarta-feira.

Com uma estrutura elevada em três plataformas, com altura de nove metros, dois elevadores para mobilidade reduzida e uma escadaria central para acesso de jovens ao palco, tem capacidade para duas mil pessoas.

O altar-palco que, sabe-se agora, custará cerca de seis milhões de euros foi entregue, por ajuste direto, à Mota-Engil, que, segundo o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, propôs o melhor preço.

Filipe Anacoreta Correia disse, numa conferência de imprensa esta quarta-feira, que foram feitas consultas a sete empresas e que havia propostas com valores mais elevados do que os 4,2 milhões, a que se tem de somar mais cerca de um milhão de euros para as fundações da estrutura e o IVA.

Na sequência da polémica do impacto financeiro, o vice-presidente da CML fez questão de sublinhar que dos 35 milhões de euros que a autarquia vai gastar, 21 milhões são investimento que servem a cidade, mesmo depois do evento que vai decorrer de 1 a 6 de agosto.

Os comentários estão desactivados.