Economia

Proveitos do setor do alojamento superaram os níveis de 2019

E mais que duplicaram face a 2021, revela o Instituto Nacional de Estatística.


Os proveitos do setor do alojamento turístico cresceram 114,7% no total e 117,0% nos relativos a aposento (+16,5% e +17,7%, face a igual período de 2019, respetivamente), em resultado de 26,5 milhões de hóspedes (+83,3%) e 69,5 milhões de dormidas (+86,3%). Os dados preliminares do Instituto Nacional de Estatística divulgados esta terça-feira dizem respeito ao conjunto do ano 2022.

Nesse período, considerando a generalidade dos meios de alojamento, registaram-se 28,9 milhões de hóspedes e 77 milhões de dormidas, correspondendo a crescimentos de 80,7% e 80,8%, respetivamente. Comparando com 2019, as dormidas diminuíram 1,0% (+5,4% nos residentes e -4,3% nos não residentes).

Fazendo as contas apenas ao mês de dezembro, o setor registou 1,6 milhões de hóspedes (+44,2%) e 3,7 milhões de dormidas (+44,6%), correspondendo a 252,2 milhões de euros de proveitos totais (+65,4%) e 176,8 milhões de euros de proveitos de aposento (+64,2%). Comparando com o mesmo mês de 2019, registaram-se aumentos de 22,9% nos proveitos totais e 25,5% nos relativos a aposento (+25,5% e +28,8% em novembro, respetivamente).

Já a taxa líquida de ocupação-cama nos estabelecimentos de alojamento turístico (31,1%) foi ligeiramente acima do valor observado em dezembro de 2019 (31%), enquanto a taxa líquida de ocupação-quarto (37,8%) ficou ligeiramente abaixo (38,2% em 2019).

Nesse mês, o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 33,1 euros, e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 87,4 euros (+53,6% e +17,2% face a dezembro de 2021, respetivamente). Em relação a dezembro de 2019, o RevPAR aumentou 18,9% e o ADR cresceu 20%.

Os comentários estão desactivados.