Sociedade

Centro histórico de Lisboa com nova vida

O Largo Rafael Bordalo Pinheiro, em Lisboa, no Chiado, vai ser fechado ao trânsito e coberto de restaurantes e esplanadas. A linha do eléctrico será reactivada.


O Largo Rafael Bordalo Pinheiro, em Lisboa, promete tornar-se em breve num dos pontos de encontro de lazer da cidade. Vai ser fechado ao trânsito, ficar coberto de esplanadas e receber novos restaurantes. A linha do eléctrico, que atravessa o largo e que está desactivada há décadas, vai ser reactivada para transporte de turistas e também da rede pública.

As obras de reabilitação deste emblemático largo no Chiado - onde o artista que lhe deu o nome faleceu, a 23 de Janeiro de 1905, tendo naquela altura o nome Rua da Abegoaria - deverão começar já no próximo mês.

"O inicio da intervenção está para breve", confirma ao SOL Manuel Salgado, vereador da Câmara Municipal de Lisboa com o pelouro do Urbanismo, adiantando que o projecto é financiando pelo Programa de Investimentos Prioritários em Acções de Reabilitação Urbana (PIPARU) do município.

Segundo o anúncio de abertura do concurso público para a empreitada de reabilitação do largo, publicado em Diário da República em 8 de Fevereiro de 2013, o valor-base do projecto é de 264.344 euros.

Com as obras, irá alargar-se a zona exclusiva para peões, prevendo-se a colocação de calçada portuguesa em grande parte do local. Está previsto também reforçar a iluminação e um arranjo dos espaços verdes. O trânsito será cortado na zona central do Largo, ficando a circulação dos carros limitada às vias laterais: Rua da Trindade e Travessa do Carmo. Haverá ainda pequenas alterações no sentido do trânsito, como é o caso da Travessa da Trindade, de forma a que se possa, através da Rua Nova da Trindade, ter acesso ao parque de estacionamento da zona. Quanto ao eléctrico, a ideia é que ali possa existir uma zona de largada e tomada de passageiros. "Mas ainda se está a estudar os eléctricos que ali vão passar", explica Manuel Salgado, que confirma a abertura de novos restaurantes. Um deles já abriu esta terça-feira, o The Meeting, onde se pode comer grelhados, e em breve deverá ser inaugurado um local para petiscos, com o nome Desatino. Mais para a frente abrirá mais um Honorato, famoso pelos seus hambúrgueres, num espaço com cerca de 300 lugares.

Insolvência de empresa atrasou projecto

Manuel Salgado explica que o projecto de reabilitação do largo se atrasou devido a problemas com o concorrente que venceu o concurso público lançado há um ano: "A empresa do primeiro classificado foi considerada insolvente e isso atrasou tudo, pois foi necessário seguir um conjunto de regras da contratação pública para se manter o concurso". A obra, adianta, será agora realizada pelo segundo classificado.

Além da abertura de esplanadas e restaurantes, e da reactivação da linha do eléctrico, estava prevista a colocação de um quiosque de jornais, o que para já, parece adiado. "Isso é que ainda não está definido", refere Manuel Salgado.

catarina.guerreiro@sol.pt